No mês que vem, mais precisamente no dia 18, o rover Perseverance completará um ano em solo marciano. Uma nova leva de imagens detalhadas captadas pelo equipamento mostra por que a equipe da missão está tão animada para continuar explorando Marte e conhecendo particularidades do Planeta Vermelho.

Rover Perseverance faz "selfie" com o helicóptero Ingenuity, em Marte
Em fevereiro, rover Perseverance completa um ano em Marte. Imagem: Nasa/Divulgação

Após pousar dentro da Cratera Jezero, um “buraco” com 45 quilômetros de largura na superfície marciana, Perseverance deu início a uma missão que se concentra na caça de sinais de vida antiga em Marte e na coleta de amostras para o futuro retorno à Terra. Segundo membros da equipe, Jezero é um ótimo lugar para fazer esse trabalho, porque a cratera teria hospedado um grande lago e um delta de rio bilhões de anos atrás. 

publicidade

A nova gama de imagens – um mosaico composto por fotos tiradas em 28 de novembro do ano passado pelo sistema de câmeras Mastcam-Z do rover – mostra por onde o rio fluiu, esculpindo um grande entalhe na parede da cratera. Também são visíveis remanescentes solidificados do antigo delta e um intrigante pedaço esbranquiçado do chão da cratera que a equipe da missão chamou de “a tira de bacon”.

“Achamos que essa é uma camada de lama depositada no fundo do lago, agora transformada em rocha”, disse Ken Farley, cientista do projeto Perseverance, no vídeo que o Laboratório de Propulsão a Jato (JPL) da Nasa publicou no YouTube.

“Essa camada de lama é importante, porque pode ser o melhor lugar para procurar evidências da vida marciana que poderia ter vivido no Lago Jezero”, acrescentou Farley, que está sediado no Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech), em Pasadena.

Leia mais:

JPL divulga dados sobre a missão Perseverance em Marte

Também é possível ver no mosaico como a paisagem de Jezero é áspera e diversificada, contendo dunas de areia de quase um metro de altura, rochas escuras que parecem ser vulcânicas e remanescentes de delta em camadas avermelhadas. 

Segundo a equipe do rover, as dunas são um obstáculo que eles não planejam enfrentar. “Gostaríamos de nos mover rapidamente para o delta, mas, infelizmente, a Perseverance tem que tomar um caminho mais longo para evitar essas dunas de areia”, disse Farley.

De acordo com o site Space, o JPL revelou que o rover do tamanho de um carro já dirigiu mais de 2,9 km no chão da cratera Jezero até o momento. O comunicado também diz que o Perseverance fez mais de 100 mil imagens, coletou mais de 50 gigabytes de dados e selou seis de seus 43 tubos de amostras, feitos de titânio. 

Segundo o JPL, as amostras coletadas serão devolvidas à Terra provavelmente em 2031, por meio de uma missão conjunta entre a Nasa e a Agência Espacial Europeia (ESA).

As realizações do helicóptero Ingenuity, que voou para o Planeta Vermelho dentro do rover Perseverance, também foram destacadas pelo JPL em um vídeo institucional de fim de ano. O drone, de 1,8 kg, teve sua missão original de demonstração de tecnologia de cinco voos estendida, assumindo também a função de apoio ao rover.

Com 18 voos até agora, o pequeno helicóptero tem mandado excelentes dados à equipe em terra. “O helicóptero tornou-se um verdadeiro ativo e parceiro de nossa equipe científica”, disse Jessica Samuels, gerente de operações de superfície da missão Perseverance.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal.