Embora impedido de frequentar a escola em razão de uma grave doença pulmonar que o obriga a permanecer com um tubo em seu pescoço, Joshua Martinangeli, de 7 anos, ainda consegue interagir com seu professor e colegas de classe, graças a um robô avatar que vai à aula em seu lugar.

“As crianças falam com ele, riem com ele e às vezes até conversam com ele durante a aula. Joshi também pode fazer isso muito bem”, disse Ute Winterberg, diretor do colégio Pusteblume-Grundschule, em Berlim, em entrevista à agência de notícias Reuters.

publicidade

Leia mais:

Ideia de robô estudante surgiu com a pandemia de Covid-19

O projeto é uma iniciativa paga pelo conselho local de Marzahn-Hellersdorf, distrito de Berlim. “Somos o único distrito em Berlim que comprou quatro avatares para suas escolas. O impulso foi a Covid-19, mas acho que este será o futuro muito além da pandemia”, disse o conselheiro distrital de educação Torsten Kuehne.

Joshua, um estudante de sete anos, participa de uma aula escolar com a ajuda de um robô avatar em sua classe, em Berlim, na Alemanha. Imagem: REUTERS/Hannibal Hanschke

“Acontece de vez em quando, por várias razões, que uma criança não pode ir à aula pessoalmente. Então, o avatar pode dar a essa criança a chance de continuar parte da comunidade escolar”, explicou Kuehne.

Ele acrescentou que já havia trazido à tona o projeto em discussões políticas em nível estadual. “Eu gosto de qualquer maneira porque eu gosto do avatar”, disse o estudante Noah Kuessner, quando perguntado se ele está ansioso para ver Joshua novamente. “E eu gostaria mais se Joshi pudesse realmente vir à escola”, disse outro colega de classe, Beritan Aslanglu.

Colocado sobre a mesa, o robô é um busto metálico que transmite para o enfermo, em tempo real, a visão da lousa e dos professores. Ele ainda pode transmitir, via internet, o áudio do aluno, que pode interagir com a sala de aula, fazendo perguntas e comentários, como se estivesse fisicamente no local.

Para permitir tudo isso, o robô avatar conta com câmera e microfone para captar o conteúdo da aula, além de um alto-falante para que o aluno afastado possa ser ouvido pelos colegas que estiverem no ensino presencial. A câmera do robô ainda pode ser movimentada pelo aluno usando um software, o que permite que ele visualize outros pontos da sala.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!