A israelense Tevel Aerobotics Technologies está desenvolvendo um sistema autônomo de robôs voadores voltado para colher frutas. Fundada por veteranos das indústrias aeroespacial e eletrônica de Israel, a startup pretende oferecer uma solução inteligente para dificuldades nos trabalhos agrícolas, como a falta de mão de obra.

Basicamente, o sistema consiste em uma plataforma de condução autônoma com vários robôs voadores amarrados, dotados de braços robóticos e garras que são usadas para pegar as frutas das árvores. Uma análise instantânea de vídeo das árvores, baseada em inteligência artificial, permite que os robôs voadores colham apenas as frutas que estão maduras.

publicidade

Leia também:

Sistema da Tevel
Imagem: Reprodução/YouTube/Tevel Aerobotics Technologies

Enquanto os robôs trabalham, o sistema atualiza os agricultores em tempo real, por meio de um aplicativo de celular. São informados dados sobre quantos quilos de frutas foram colhidos e quanto tempo levará para terminar o trabalho de colheita.

A Tevel diz que seu sistema pode servir pomares de todos os tamanhos. Sua detecção consegue distinguir entre frutas, folhagens e outros objetos, além de classificar tamanho, maturação, e outras informações.

Os drones trabalham 24 horas por dia (ou seja, trabalham mais horas que as pessoas). Além disso, como aponta o jornal The Times of Israel os robôs são mais precisos e podem realizar outras tarefas, como desbaste e poda de árvores, reduzindo o custo de produção de frutas em cerca de 30%.

Mercado de robôs na agricultura

A solução da Tevel ainda está em fase de testes, mas a empresa espera apresentá-la em breve ao mercado global. Estima-se que o setor de robótica agrícola, avaliado em cerca de US$ 4,6 bilhões, esteja crescendo mais de 30% ao ano, à medida que os agricultores procuram resolver a escassez de mão de obra e os custos de colheita.

Em um vídeo, a startup israelense apresenta os robôs voadores fazendo a colheita de maçãs, com cada plataforma dotada de quatro drones amarrados, que pegam e soltam as frutas nos devidos lugares sinalizados. Confira:

Na introdução do vídeo, um produtor agrícola israelense diz que a colheita “é um trabalho duro e sazonal”. Outros apontamentos feitos nas cenas são sobre ter que providenciar moradia, seguro, transporte e vistos de trabalho para trabalhadores da colheita sazonal. “Os custos estão aumentando o tempo todo”, diz o produtor.

Entre as informações que a Tevel apresenta em seu site justificando sua tecnologia, há o crescimento da população humana em 40% até 2050, o que exige aumento de produção de alimentos, como frutas. Logo, há crescimento das áreas de plantio, ao mesmo tempo em que aumenta a escassez de mão de obra.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!