Se na terça-feira (1º) a Sociedade de Telecomunicações Financeiras Interbancárias Mundiais (Swift, na sigla em inglês) afirmou que iria desconectar os bancos russos quando recebesse as instruções legais para tal, esta quarta-feira (2) é o dia. A União Europeia está excluindo sete bancos da Rússia do sistema que sustenta as transações globais.

O maior país do mundo foi expulso do Swift como parte das sanções após o presidente Vladimir Putin autorizar a invasão da Ucrânia, na última quinta-feira (24). Agora, os bancos têm dez dias para encerrar as operações no sistema. São eles o VTB, maior banco da Rússia, Bank Otrkitie, Novikombank, Promsvyazbank, Bank Rossiya, Sovcombank e VEB.

publicidade

Leia mais:

“Todos esses bancos que listamos no Swift… eles são todos baseados em sua conexão com o estado e a conexão implícita com o esforço de guerra. Não adotamos uma proibição geral em todo o sistema bancário”, disse um alto funcionário da União Europeia, em entrevista à agência internacional de notícias Reuters.

O que é o Swift e quais impactos a Rússia terá se for excluída do sistema financeiro

Sberbank e Gazprombank não foram incluídos na lista. Eles são os canais de pagamento de petróleo e gás russo comprados pelos países da União Europeia. Segundo o funcionário do bloco, não dá para permitir apenas as transações relacionadas à energia e excluir as outras, pois o sistema não consegue diferenciar os tipos de pagamento.

Mapa em 3D da Rússia pintado com as cores da bandeira do país com fitas cruzadas amarelas representando sanções e a proibição do uso do sistema de pagamentos Swift
A Rússia enfrenta sanções após invadir a Ucrânia. Imagem: GALEXS;Shutterstock

“Estamos cientes da declaração conjunta de líderes da Comissão Europeia, França, Alemanha, Itália, Reino Unido, Canadá e Estados Unidos, que expressa sua intenção de implementar novas medidas para restringir o acesso de bancos russos selecionados aos nossos serviços de mensagens financeiras. As decisões diplomáticas levaram a Swift aos esforços para acabar com esta crise, e sempre cumpriremos as leis de sanções aplicáveis”, disse o comunicado do Swift na terça-feira.

O sistema ainda acrescentou, na nota, que lamenta as “trágicas consequências humanas” da guerra entre Ucrânia e Rússia. O comunicado prossegue, citando o apoio “a estabilidade econômica, a resiliência e a prosperidade em todo o sistema financeiro global, para apoiar a resolução e a recuperação de longo prazo”.

O sistema Swift conta com 11 mil membros. Mesmo com um sistema próprio na Rússia, o país ainda usa o Swift em cerca de 70% das transações. Os bancos ainda podem fazer transações em soluções alternativas, como sistemas de mensagens bilaterais e fax.

Via: Infomoney / Reuters

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!