Pros
  • Desempenho do Snapdragon 888+
  • Câmera gera boas imagens, apesar de alguns problemas
  • Bateria tem boa duração, mas carregamento podia ser mais rápido
Contras
  • Tela LCD com brilho baixo, apesar dos 144Hz
  • Caixa de som não é estéreo
  • Apenas uma atualização de sistema prevista

Eu testei nos últimos meses o Moto G200 5G, um smartphone Android bem interessante que a Motorola trouxe para o Brasil em dezembro com o Moto G71 e o Moto G31, e conto tudo que achei sobre ele nesse review.

O destaque é o seu desempenho excelente, graças ao processador Snapdragon 888+ (ou Plus), além de uma grande tela, que apesar de LCD, tem uma ótima taxa de atualização, e o sensor principal de 108 MP da câmera tripla.

publicidade

Desempenho agrada bastante

Traseira do Moto G200 5G
Traseira do Moto G200 5G / Foto: Nick Ellis

Gostei muito da experiência de usar o Moto G200 5G no dia a dia, como meu smartphone principal, e devo dizer que o principal motivo para isso é o seu processador, o Snapdragon 888+ da Qualcomm. Anunciado em junho do ano passado, o 888+ era o flagship da empresa até a chegada do Snapdragon 8 Gen 1 em dezembro.

Apesar disso, o Moto G200 faz alguns compromissos em relação ao Moto G100, como a memória RAM. O processador é acompanhado por 8 GB de RAM, e versões de 128 e 256 GB, mas o modelo anterior também tinha uma versão com 12 GB de RAM.

Outro detalhe que vale citar é que o Moto G200 não conta com um cartão microSD, algo que o G100 tinha, mas pelo menos tem 256 de capacidade, então isso não deve chegar a atrapalhar. Lá fora, ele tem uma versão com 128 GB, mas aqui foi lançado apenas com 256 GB.

De qualquer forma, com esse chip e memória, o Moto G200 dá conta de qualquer app ou game para Android, de forma tranquila, sem travamentos de qualquer tipo.

Tela tem ótimo tamanho e taxa de atualização, mas brilho decepciona

Tela LCD de 144Hz do Moto G200 5G
Tela LCD de 144Hz do Moto G200 5G / Foto: Nick Ellis

O que chama a atenção de cara nesse smartphone é a sua grande tela de 6,8 polegadas com taxa de atualização de 144Hz. Apesar das dimensões e boas cores, além de suporte a HDR10, ela poderia ter um brilho melhor. O motivo para isso é simples, por uma decisão da Motorola, ela é uma tela LCD, e não OLED, como a do Moto Edge 20 Pro, que testamos em 2020.

De qualquer forma, seu tamanho e suas cores, além da taxa de atualização e do desempenho do seu processador, tornam o Moto G200 uma boa opção para games, ainda que não seja vendido como um dispositivo gamer. Uma ressalva é que o brilho sob a luz do sol pode atrapalhar a leitura da tela.

Selfies tiradas com o Moto G200
Selfies tiradas com o Moto G200 / Foto: Nick Ellis

A câmera frontal do G200 não é dupla como a do G100, que também testamos aqui no Olhar Digital, ou seja, mais um compromisso feito pela Motorola nesse dispositivo. Ela é a mesma câmera de 16 MP com abertura F/2.2, mas o G200 ficou sem a câmera ultrawide com ângulo de 118˚ do seu antecessor, o que é uma pena.

Bateria tem boa duração e carregamento de 33W

A bateria é de 5000 mAh com carregamento de 33W, e pode ser totalmente carregada em uma hora e alguns poucos minutos. Algo a ser elogiado é que o Moto G200 vem com carregador na caixa, algo relativamente raro hoje no segmento. O carregador TurboPower é de 33W, mesma velocidade de carregamento da bateria do G200.

Na minha experiência com ele como meu smartphone principal no dia a dia, a bateria durou mais do que eu esperava, e ele só precisava ir para a tomada no dia seguinte. Com uso intenso, cheguei a mais de 13 horas usando o dispositivo antes de ter que me preocupar com isso. De qualquer forma, uma vez que a bateria acaba, o Moto G200 tem um problema. O carregamento de 33W não me parece rápido o suficiente para uma bateria desse tamanho, e podia ser mais veloz.

Conectividade 5G SA e NSA

O Moto G200 também conta com conectividade 5G de alta velocidade (SA, NSA e Sub-6 GHz). Eu testei a velocidade do seu 5G SA em uma visita na sede da Claro em São Paulo em dezembro do ano passado, e fiquei muito bem impressionado. Usando o Moto G200 com a rede 5G da Claro, cheguei a uma velocidade de 1,7 Gbps. Além de 5G, ele conta com Wi-Fi 6E, ou seja, está muito bem servido nesse quesito.

Resistência é um dos problemas

Com sua traseira em plástico, o Moto G200 não é um smartphone muito resistente, mas felizmente não tirei a prova, já que ele não caiu nenhuma vez no chão durante o tempo em que usei ele como meu dispositivo principal.

De qualquer forma, a Motorola também colocou uma capa transparente na caixa para proteger o smartphone.

Câmera tripla com sensor principal de 108 MP

Detalhe da câmera tripla do Moto G200 5G
Detalhe da câmera tripla do Moto G200 5G / Foto: Nick Ellis

Seu conjunto de câmeras triplo também tira boas fotos e vídeos, com uma câmera principal de 108 MP com abertura F/1.9 e foco automático PDAF, com uma ultrawide de 13 MP com abertura F/2.2 e ângulo de 119˚, alem de um sensor de profundidade de 2 MP.

Foto tirada com o Moto G200
Foto tirada com o Moto G200 / Foto: Nick Ellis

Essa câmera grava vídeos em 4K com 30 fps, mas a do Moto G100 gravava em 6K com o mesmo número de frames por segundo. Além disso, a câmera do Moto G100 era quádrupla, e tinha um sensor ToF 3D que foi retirado do novo modelo.

Câmera captura cores bem vivas
Câmera captura cores bem vivas / Foto: Nick Ellis

Gostei bastante das cores capturadas por essa câmera, sempre muito vivas.

Detalhe de foto tirada com a câmera do Moto G200
Detalhe de foto tirada com a câmera do Moto G200 / Foto: Nick Ellis

De qualquer forma, é possível produzir ótimas imagens com a câmera do Moto G200.

Detalhe de foto tirada com a câmera do Moto G200
Detalhe de foto tirada com a câmera do Moto G200 / Foto: Nick Ellis

Vale citar que sua câmera ultrawide também pode ser usada para tirar fotos macro, com uma distância de 3 cm do objeto fotografado, com ótimos resultados.

Abaixo, uma comparação da câmera principal e da ultrawide.

Foto tirada com a câmera principal do Moto G200
Foto tirada com a câmera principal do Moto G200 / Foto: Nick Ellis
Foto tirada com a câmera ultrawide do Moto G200
Foto tirada com a câmera ultrawide do Moto G200 / Foto: Nick Ellis

Design é bem agradável aos olhos

Cores do Moto G200, verde e azul
Cores do Moto G200, verde e azul / Foto: Nick Ellis

O Moto G200 tem uma traseira em plástico, mas que não parece, com um acabamento com um efeito que muda a cor de acordo com a luz. São duas opções de cores, a azul que testamos, e a verde, que conheci rapidamente, e que também é muito bonita, e bem mais clara.

Seu visual é realmente bem atrativo, embora por ser de plástico, talvez não seja tão resistente. O Moto G200 tem um sensor de impressões digitais que fica no botão de ligar, na lateral, ao lado de botões de volume, e funciona de forma adequada. Do outro lado, um botão que aciona o Google Assistente.

Caixa de som é bem fraca, e sem plug para fones de ouvido

Apesar de não ter um plug de 3,5 para fones de ouvido, ele já vem com um adaptador e fone incluídos na caixa. Além disso, a caixa de som do Moto G200 é única, assim ele não conta com som estéreo, o que é uma pena. Assim recomendo usar o Moto G200 com fones de ouvido caso você queira ouvir músicas ou assistir a algum vídeo aproveitando o tamanho da sua tela.

Android 11 com apenas uma atualização

E chegamos ao maior problema desse review, e também do Moto G200 5G. O dispositivo foi lançado com Android 11, o mesmo sistema do Moto G100, e apesar de ter atualização garantida para o Android 12, só terá dois anos de atualizações de segurança, o que é muito pouco, assim isso deve ser considerado ao comprar o dispositivo.

Como outros smartphones Motorola, ele é compatível com a plataforma Ready For, e assim pode ser usado com outros monitores, sem fio ou com um cabo.

O Moto G200 também conta com o recurso Game Time da Motorola, que abre um menu específico para jogos, no qual você pode ajustar a taxa de atualização e ajustar várias configurações sem atrapalhar a experiência no game.

Além disso, ele é compatível com vários atalhos e funcionalidades da marca, como o movimento de machado para acender a lanterna, capturar a tela com três dedos ou dividir a tela deslizando o dedo debaixo para cima.

Preço já caiu bastante

O preço de lançamento do Moto G200 5G no Brasil foi R$ 4.999 em dezembro de 2021, mas ele já pode ser encontrado por R$ 3.899 ou até mais barato do que isso em algumas lojas. Além disso, ele pode custar mais barato em um plano de uma operadora.

No site da Motorola, seu preço ainda está bem caro, e no dia em que esse postamos esse review, o Moto G200 estava custando R$ 4.499,10 à vista.

Leia também:

Conclusão

Detalhe da câmera tripla do Moto G200 5G
Detalhe da câmera tripla do Moto G200 5G / Foto: Nick Ellis

Para concluir esse review do Moto G200 5G, posso dizer que com seu processador muito rápido e uma tela que mesmo sem ser OLED, tem um ótimo tamanho e HDR10, esse dispositivo é uma opção interessante, dependendo do valor que você consiga comprá-lo.

Sim, sua câmera tem alguns compromissos em relação ao Moto G100, e ele perdeu o slot para cartões microSD, mas em compensação, tem 256 GB de capacidade, o que deve ser suficiente para a maioria dos usuários. Sua câmera produz boas imagens, o que é sempre importante em um smartphone.

Caso você tenha uma mão grande, ou não se incomode de usar o smartphone o tempo inteiro com ambas as mãos, o Moto G200 pode ser o smartphone ideal, ainda que nem tudo seja perfeito, e ele conte com todas as ressalvas que mostramos nesse review. Pelo preço oficial, não dá para recomendar, mas dependendo do valor do desconto, o Moto G200 pode ser uma boa compra.

Nossa Avaliação
Nota Final 8.6
  • Desempenho
    9.0
  • Design
    8.5
  • Câmeras
    8.0
  • Bateria
    8.5
  • Sistema/Interface
    9.0
  • Tela
    9.0
  • Conectividade
    10.0
  • Resistência
    7.0
Moto G200 256 GB
Kabum
Moto G200 256 GB
Ponto
Moto G200 256 GB
Carrefour
Moto G200 256 GB
Casas Bahia