Uma concessionária da Mitsubishi em Chicago (EUA) pôs à venda uma limusine para fãs de aviação: a Leamousine. À venda por US$ 3,8 milhões (em torno de R$ 19,5 milhões em conversão direta), a Leamousine é uma máquina única: um Learjet modificado para se tornar um carro homolgado para estrada. Por dentro, uma limusine para festas, com áudio de alta qualidade, shows de luzes e sofás confortáveis.

O “carro” foi financiado pelo casal Frank e Joanne DeAngelo. Eles são donos da Exotic Coach Limousines, uma empresa especializada em pegar carros de luxo e cortá-los ao meio para adicionar comprimento e recursos como pistas de dança, lareiras e afins. Transformar um avião Learjet em uma limusine, digamos, não era nada incomum para eles.

publicidade
Leamousine, a limusine de luxo
Mecum/Divulgação

O projeto da Leamousine foi, então, repassado para Dan Harris, da Jetmousine Inc., uma empresa de Portland (EUA). Fruto de 40 mil horas de trabalho entre os anos de 2006 e 2018, o modelo custou em torno de US$ 1 milhão para ser montado. Algo que o casal DeAngelo faz questão de ressaltar, já que poucos no mundo podem se gabar de ter uma limusine baseada em um projeto aeronáutico.

Apesar de seus 12,8 metros de comprimento, a limusine não deve em desempenho, trazendo um motor V8 8.1 da Chevrolet com 400 cv de potência — o mesmo propulsor da Silverado 2500. Em velocidade, o carro pode chegar a quase 160 km/h.

Leamousine, a limusine de luxo
Mecum/Divulgação

Composição técnica

À primeira vista, é um pouco difícil identificar em qual Learjet os projetistas da Leamousine se basearam. Uma reportagem da Associação de Pilotos e Proprietários de Aeronaves dos EUA (Aopa, na sigla em inglês), no entanto, confirmou que o modelo foi construído com base na fuselagem de um Learjet 35.

Produzido entre 1973 e 1994 pela Bombardier, o Learjet 35 tinha dois motores turbofan Garrett TFE731-2 montados na traseira e capacidade para oito pessoas. “Originalmente nós procuramos por um Hawker, mas seu tamanho e formato não eram material para limusine”, disse Frank DeAngelo, em entrevista à Aopa.

Segundo a reportagem da Aopa, a tarefa mais difícil na adaptação da Leamousine foi o encaixe da suspensão/direção traseira, já que as partes tubulares do avião tiveram que ser cortadas e soldadas com precisão. Os turbofans Garrett, por sua vez, foram substituídos por alto-falantes, com a saída de áudio total da limusine chegando a 17 mil watts.

Leamousine, a limusine de luxo
Mecum/Divulgação

No interior, o cockpit do avião foi eviscerado e substituído por pedaços de painel de bordo de um caminhão da GM fabricado em meados dos anos 2000. Para ver o que acontece à frente, o motorista possui um par de câmeras (aparentemente, meio antigas). A carroceria é pintada de vermelho-escuro e as rodas são de 28 polegadas.

Antes usada como um showcar, a Leamousine está à venda desde 2019. Os proprietários colocaram o preço-base de US$ 3,8 milhões, mas esperam até US$ 5 milhões (em torno de R$ 27 mi) em uma eventual transação.

Leia mais:

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!