O roteirista de “Doutor Estranho no Multiverso da Loucura” entregou que a personagem America Chavez pode ser considerada um “Ser Nexus” do MCU.

ATENÇÃO: O texto contém spoilers de “Doutor Estranho no Multiverso da Loucura.

publicidade
Doutor Estranho e America Chavez em “Doutor Estranho no Multiverso da Loucura”. Divulgação/Marvel Studios

Michael Waldron vem falando bastante em entrevistas. O roteirista já comentou sobre o futuro de Namor no MCU, o arco da Feiticeira Escarlate e até sobre a possibilidade de um Homem de Ferro de Tom Cruise em “Doutor Estranho no Multiverso da Loucura”.

Desta vez, em entrevista ao Screen Rant, Waldron abordou questões sobre a personagem America Chavez, vivida por Xochitl Gomez no filme. Na entrevista, Waldron foi perguntado sobre o motivo de as audiências não verem versões alternativas, ou Variantes, de America nos outros universos visitados por ela e Stephen Strange.

“Esta é uma boa pergunta,” começou Waldron. “E acho que esse é o tipo de coisa que eu gostaria de ver explorada no próximo capítulo da história da América. Claramente, ela é um ser muito significativo no universo. Se você quiser chamá-la de Ser Nexus ou qualquer outra coisa. Acho que tudo isso está em jogo enquanto continuamos a explorar a história dela.”

No filme, America luta para tentar descobrir como utilizar seus poderes de viajante no multiverso, no entanto eles só são ativados quando ela se sente em grave perigo. America possui poderes extremamente raros no MCU, sendo a única capaz de se mover entre realidades, e isso apresenta desafios para quem cria em cima deles.

“Viagem multiversal é tão difícil. Tem que ser difícil – tem que ser uma coisa impossível de se fazer, de tal forma que apenas a America pode fazê-lo”, explicou Waldron. “Isso significa que quando [Doutor Estranho] ficou preso em um multiverso, em outro universo sem a America, ele realmente ficou preso por um tempo. E eu também.”

Em “Doutor Estranho no Multiverso da Loucura”, America Chavez explica para o Doutor Estranho que não existe outra versão dela no multiverso, e que ela tem isso como fato porque ela nunca encontrou outra versão de si mesma e, principalmente porque não sonha. E o filme estabelece desde o começo que os sonhos são vislumbres que os personagens tem de suas versões em outras realidades.

Leia mais!

Quanto aos “Seres Nexus”, os quadrinhos os descrevem como criaturas com a habilidade de afetar o futuro, alterando o fluxo do tempo corrente. A primeira menção aos Seres Nexus no MCU ocorreu em “Loki”, série do Disney+, mas ela deu um enfoque maior em Eventos Nexus, cujos resultados são inalteráveis. Além disso, existe um Ser Nexus em cada realidade do Multiverso, e ele atua como uma espécie de âncora para esta realidade específica.

“Doutor Estranho no Multiverso da Loucura” está nos cinemas.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!