O Brasil ultrapassou a marca de 32.535.923 de casos de infecção pelo coronavírus nesta segunda-feira (4), segundo dados do Conselho Nacional de Secretários da Saúde (Conass). Em crescimento, o Painel aponta uma média móvel de 7 dias em 57.944 casos, contra 55.447 da semana passada (28) e 29.669 de 4 de junho (há um mês).

Neste cenário, é importante manter os cuidados, indo além do uso de máscaras e tendo bons hábitos com a higiene, uso de álcool gel, compartilhamento de itens domésticos e situações de aglomeração. Mas quando somos infectados, como nosso corpo reage ao longo dos dias? Apesar disso depender de pessoa para pessoa, é possível ter uma noção do que esperar.

publicidade

Leia também:

Conforme traz a doutora Lisa Maragakis, do Hospital Universitário John Hopkins, nos Estados Unidos, existem três fases gerais de infecção pelo SARS-Cov-2, o coronavírus que causa a Covid-19: a incubação, o período agudo e a recuperação.

publicidade

Incubação

No período entre a infecção e o surgimento dos sintomas, tudo ocorre nos três primeiros dias, dependendo da variante do coronavírus. Após termos contato com alguém infectado, as células da mucosa do nosso nariz ou boca (ou até dos olhos) recebem a carga de vírus, que começa a se replicar em um número tão grande, que as células não aguentam e morrem, explodindo e liberando as réplicas para o restante do corpo.

Mesmo não apresentando sintomas no período de incubação, você pode transmitir o coronavírus para outra pessoa durante essa fase. É possível ainda que os sintomas demorem até 14 dias para aparecer após a infecção. De qualquer forma, quando o vírus começa a afetar em massa as demais células do corpo, é o momento de incubação – a garganta é afetada e, eventualmente, os pulmões.

publicidade

Sintomas e evolução (a partir do quarto dia após a infecção)

Quando os sintomas surgem, você pode ter febre, tosse, coriza, dor de garganta (basicamente), além de outros problemas causados pela Covid-19. A doença ativa pode durar de uma a duas semanas se ela for leve ou moderada, mas casos graves podem durar meses. Algumas pessoas são assintomáticas, o que significa que nunca apresentam sintomas, mesmo infectadas pelo coronavírus.

Os sintomas piores, como dor de garganta e febre, podem durar cerca de três dias, estima Nancy Bellei, professora da Universidade Federal de São Paulo e especialista integrante da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI). “Após esse período, é normal que manifestações mais leves, como coriza e tosse, ainda persistam por sete a dez dias”, aponta.

publicidade

Após os 14 primeiros dias de infecção pelo coronavírus

A recuperação começa depois de 14 dias após a pessoa ser infectada. É possível que sintomas como tosse persistente, febre intermitente, fraqueza e alterações nos sentidos do olfato ou paladar persistam por semanas ou até meses após a recuperação de uma doença aguda. Esses sintomas persistentes são conhecidos como Covid-19 longa, na maior parte das vezes.

A vacinação tem feito sua parte para interromper o processo de replicação do vírus no corpo e de destruição de células. Ainda assim, os resultados dos testes podem permanecer positivos por semanas a vários meses após a infecção – mas isso não significa necessariamente que você ainda possa infectar outras pessoas. Conforme aponta a doutora Lisa Maragakis, a maioria das pessoas não é mais infecciosa além do período recomendado de precauções de isolamento.

Infelizmente, há casos muito graves, em que o vírus chega em órgãos vitais, e que podem levar a internações, com procedimentos de intubação, inclusive. Há também o aumento de risco de morte da pessoa, quando a situação é dessa natureza. No Brasil, a média móvel está em 214 mortes nos últimos 7 dias, segundo os dados do Conass.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!

Imagem: Zigres/Shutterstock