Nos últimos tempos, mais precisamente de 17 anos para cá, muito se tem falado sobre turismo espacial. A possibilidade de viajar para além deste mundo, observar nosso planeta de longe, flutuar em microgravidade e se sentir quase como um verdadeiro astronauta já é uma realidade.

Dennis Tito na Estação Espacial Internacional (ISS), ao lado dos cosmonautas russos Yuri Baturin e Talgat Musabayev em 2001. Ele vai voar à Lua a bordo da SpaceX Starship. Imagem: NASA

Depois do lançamento do macaco Albert II, em 1949, e da cachorrinha Laika, em 1957, ambos com o triste destino de morrerem sozinhos e carbonizados no retorno à Terra, o primeiro voo tripulado com retorno bem-sucedido de seus ocupantes aconteceu em 1960. Os cãezinhos Belka e Strelka voltaram sãos e salvos, o que aumentou as esperanças de um voo espacial com humanos.

publicidade

Isso veio a acontecer um ano depois, quando o astronauta Yuri Gagarin tornou-se a primeira pessoa a ir para o espaço. Ele pilotou a espaçonave Vostok I, do programa espacial da então União Soviética (URSS).

Se o intervalo entre os voos dos primeiros animais sobreviventes e da primeira pessoa a ir ao espaço foi de apenas um ano, o hiato entre o primeiro voo humano e a viagem de estreia do turismo espacial foi bem maior: 40 anos separam Gagarin do engenheiro multimilionário norte-americano Dennis Anthony Tito, que entrou para a história como a primeira pessoa a pagar por esse privilégio. 

Ele desembolsou nada menos do que US$20 milhões (o equivalente a cerca de R$106 milhões na cotação atual) para embarcar na nave russa Soyuz TM-32 rumo à Estação Espacial Internacional (ISS), em 28 de abril de 2001. 

Foram oito dias em órbita a bordo da ISS, como membro da missão ISS EP-1, ao lado do cosmonauta russo Yuri Baturin e do astronauta canadense Chris Hadfield.

Nesta quarta-feira (12), mais de vinte anos depois dessa inesquecível aventura, Tito anunciou que quer retornar ao espaço com a Starship da SpaceX, desta vez acompanhado da esposa, Akiko. No entanto, nada de revisitar a ISS. O destino, desta vez, será a Lua.

“Nós tivemos nossa primeira conversa com a SpaceX há pouco mais de um ano, e isso veio em um momento em que estávamos fazendo um tour pelas instalações da empresa. Nem estávamos pensando naquele momento sobre voar juntos”, disse Tito em entrevista ao site CollectSPACE. “A pergunta então veio à tona: ‘gostaria de voltar e voar no espaço?’ Bem, eu certamente não quero voltar para a estação espacial. Eu nem quero orbitar a Terra. E então eu pensei sobre isso e disse que estaria interessado em ir para a Lua. Então, eu olhei para Akiko e nós meio que tivemos um pouco de contato visual e ela disse: ‘Sim, eu também.’ E foi assim que tudo começou”.

O casal assinou contrato com a SpaceX em meados de 2021. De acordo com o planejado, eles se juntarão a outros 10 passageiros, ainda a serem inscritos, em uma viagem de uma semana que os aproximará da superfície lunar. O lançamento virá após outra missão turística da Starship à Lua, batizada de #dearMoon, que foi reservada pelo bilionário japonês Yusaku Maezawa em 2018.

Leia mais:

Se tudo isso realmente se concretizar, Tito, que tem atualmente 82 anos, pode estabelecer um recorde como a pessoa mais velha a voar em órbita e a ir para a Lua. Ele já é mais velho que o atual recordista, o falecido astronauta da NASA John Glenn, que voou no ônibus espacial Discovery aos 77 anos. William Shatner, ator conhecido por interpretar o Capitão Kirk da saga “Star Trek” tinha 90 anos quando decolou pela Blue Origin no ano passado, mas a cápsula que o conduzia não entrou em órbita, já que os voos oferecidos pela empresa de Jeff Bezos são suborbitais (“bate-volta” até a “fronteira final).

Akiko, por sua vez, também pode se tornar uma das primeiras mulheres a voar ao redor da Lua. “Acho que outra novidade que é muito importante é que seremos o primeiro casal a voar ao redor da lua. E espero que isso seja inspirador para outros casais fazerem o mesmo”, disse Tito.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!