A empresa japonesa Hitachi iniciou testes importantes com um supercaminhão elétrico basculante em uma mina de cobre e ouro a céu aberto na Zâmbia. Movido a bateria, o protótipo está tendo o desempenho analisado, assim como os engenheiros estão verificando a infraestrutura de suporte.

Apesar de ser considerado um processo bem nocivo para o meio ambiente, a mineração tem buscado uma série de esforços para diminuir esse perfil. Pelo menos no que diz respeito ao maquinário pesado. GM, Fortescue, Caterpillar e Anglo American, por exemplo, também têm apresentado modelos nesse sentido.

Vídeo relacionado

Leia também:

O desenvolvimento do supercaminhão elétrico pela Hitachi Construction Machinery começou em junho de 2021, com apoio de parcerias importantes. Em 2023, a mineradora First Quantum Minerals entrou nessa empreitada, concordando com testes de viabilidade para o caminhão em sua mina de cobre/ouro Kansanshi na Zâmbia – onde vários caminhões da Hitachi já estavam em operação.

publicidade
Ilustração dos trabalhos do supercaminhão elétrico
Imagem: Divulgação/Hitachi

Um supercaminhão para centenas de toneladas

Esses veículos operam tanto com motor de combustão interna quanto com energia elétrica de cabos aéreos. A versão elétrica a bateria do supercaminhão promete eliminar completamente as emissões de diesel, uma vantagem significativa considerando que 92% da energia da Zâmbia provém de fontes renováveis.

Os testes iniciais do protótipo foram concluídos em janeiro deste ano. Veja um pouco do “caminhãozão” em ação:

publicidade

O modelo elétrico a bateria se baseou no Hitachi EH4000 AC-3, que possui 14 metros de comprimento e 7,14 metros de altura (parecido com a altura de um sobrado). Já os pneus têm aproximadamente 4 metros de diâmetro e 1,5 metro de largura.

Alimentado por um motor Cummins de 2.500 cv, o supercaminhão conta ainda com frenagem regenerativa (que ajuda a reduzir a necessidade de paradas para recarregar). Com capacidade de carga de 243,6 toneladas, o veículo deve operar continuamente na mina também graças à rede de linhas de carregamento aéreo.

publicidade

Embora a capacidade exata da bateria não tenha sido divulgada, a configuração de carregamento dinâmico deve permitir um tamanho de bateria menor. Isso reduziria os custos de produção e maximizaria a capacidade de carga útil.

Via New Atlas