O Facebook já não era a empresa mais bem vista pela opinião pública por conta dos diversos escândalos de privacidade envolvendo a empresa. Em geral, essa imagem ruim não afetava os ganhos financeiros da empresa, mas as coisas foram diferentes com a queda desta segunda-feira (4).

Além da queda da fortuna pessoal do CEO da empresa, Mark Zuckerberg, que perdeu em torno de US$ 7 bilhões (cerca de R$ 38 bilhões), estima-se que a empresa tenha perdido mais ou menos US$ 80 milhões (cerca de R$ 435 milhões) só em receitas de publicidade enquanto ficou fora do ar.

publicidade

Como o valor foi estimado?

A lista de interesse permite que o Facebook direcione anúncios mais compatíveis com o perfil do usuário
Valor foi estimado com base nos lucros anunciados pelo Facebook para o primeiro trimestre deste ano. Crédito: Arquivo/Olhar Digital

A revista Fortune e a agência de checagem Snopes, ambas dos EUA, tomaram como base os números divulgados pela empresa no relatório de lucros do primeiro trimestre para a estimativa. Neste período, o Facebook diz ter arrecadado US$ 29 bilhões (cerca de R$ 153 bilhões)  em receitas de publicidade.

Usando a matemática básica aqui, isso significa que o Facebook fatura US$ 13,3 milhões por hora (R$ 72,5). Como a paralisação durou em torno de seis horas, chegamos a perdas que beiram os US$ 80 milhões, isso levando em consideração apenas o período em que nada estava funcionando.

As perdas em receita de publicidade, porém, não foram a única dor de cabeça para o Facebook do ponto de vista financeiro. A empresa perdeu cerca de 5% do valor de mercado na bolsa da Associação Nacional de Corretores de Títulos de Cotações Automáticas de Nova York (Nasdaq).

Queda generalizada

O Facebook apresentou uma série de instabilidades nesta terça-feira (4) e ficou fora do ar entre mais ou menos entre às 13h e às 19h. O WhatsApp e o Instagram, que também pertencem ao conglomerado de Mark Zuckerberg, também ficaram fora do ar este tempo todo.

Leia mais:

Durante todo o dia, várias especulações tomaram as redes sociais (pelo menos as que continuaram ativas) sobre qual seria a motivação para a queda generalizada. Executivos da empresa, como o Diretor de Tecnologia, Mike Schroepfer, e até mesmo Mark Zuckerberg, se desculparam pelo ocorrido.

Pedidos de desculpa

Schroepfer usou o Twitter para pedir “sinceras desculpas” a todos os afetados pela interrupção. Já Zuckerberg, que não tem Twitter, se pronunciou apenas após a volta do Facebook. O posicionamento oficial da empresa sobre o ocorrido, porém, só saiu quando já era madrugada aqui no Brasil.

Em nota, o Facebook declarou que a instabilidade foi resultado de uma alteração na configuração dos roteadores da empresa. A companhia, porém, negou a possibilidade de ataque hacker ou qualquer vazamento de dados dos usuários.

Facebook, Instagram, WhatsApp and Messenger are coming back online now. Sorry for the disruption today — I know how much you rely on our services to stay connected with the people you care about.

Publicado por Mark Zuckerberg em Segunda-feira, 4 de outubro de 2021

Via: CNet

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!