A subsidiária da Volvo Polestar lançou no ano passado seu primeiro elétrico puro, o Polestar 2. Para ano que vem, anunciou recentemente opções mais acessíveis do sedan. Dotado de apenas um motor em vez dos dois existentes no modelo já lançado, a nova linha do Polestar 2 surge com tração no eixo dianteiro, um pouco menos de potência e mais simples.

O pessoal do TechCrunch testou o EV e confirmou que o carro da montadora sueca vinculada à Volvo ainda oferece muitos dos recursos do Polestar 2 com motor duplo. Porém, com mudanças que o tornam um pouco mais em conta.

publicidade

Um motor só e silencioso

O motor único de 231 cavalos e 33,5 kgfm dão ao veículo o alcance estimado de 435 km, sendo acompanhado pela bateria de 78 kWh (a mesma existente no irmão mais velho). Sua capacidade útil, de acordo com a empresa, é de 75 kWh. Ela fica sob o assoalho, entre as rodas dianteiras e traseiras. O carro se mostrou silencioso, confortável e suficientemente rápido. A Polestar diz que ele faz de 0 a 100 km/h em modestos, mas respeitáveis sete segundos.

Carro elétrico Polestar 2 carregando
Imagem: Divulgação/Polestar

Pacotes opcionais para o Polestar 2 do ano que vem trazem recursos extras. No pacote Plus (que estava no carro testado pela TechCrunch), há bomba de calor, teto panorâmico de vidro, áudio premium Harman Kardon e carregador de telefone sem fio, por exemplo.

Esta bomba de calor mecânica ajuda a manter a carga do veículo em climas mais adversos. A Polestar afirma que, em certas condições climáticas, o componente absorve o calor do ar externo para estender o alcance do veículo em até 10% (cerca de 43 km). Um pacote mais caro, Pilot, inclui recursos como controle de cruzeiro adaptável e iluminação externa de LED.

Na parte de freios, o Polestar 2 testado mostrou uma configuração de frenagem mais agressiva. Contudo, o teste mostrou que, depois de alguns minutos, é possível se acostumar com ela, já que se torna basicamente mais intuitiva.

Funcionamento do Android Auto no Polestar 2

Na viagem de teste que rodou 320 km, não foi necessário parar para recarregar as baterias. Ainda assim, os locais de carregamento foram notados, integrados à plataforma do Google Maps do Android Auto que roda no veículo. O sistema, porém, não informa se um carregador está disponível ou funcionando. Espera-se que as atualizações contínuas over-the-air melhorem a eficiência e o volume do portfólio.

Ainda com relação aos serviços do Google, como Google Assistente, Google Maps e Google Play Store, foi observada a projeção das funções do sistema operacional que roda no celular e a sensação de “poder usá-lo” no visor central do Polestar 2 de um só motor. Os usuários, inclusive, podem escolher acessar quase tudo no veículo por meio de controle de voz, usando a conveniente frase de iniciação “Ei, Google”. Por exemplo, para controle de temperatura e instruções de direção.

Android Auto rodando no veículo
Imagem: Reprodução/TechCruch/Kirsten Korosec

Na parte de sustentabilidade, os estofamentos no interior do Polestar 2 do ano que vem foram selecionados de forma ecologicamente correta. Já seus componentes podem ser substituídos individualmente conforme ocorrerem falhas.

“Estamos explorando a remanufatura e reutilizando os componentes que voltam”, afirma Glenn Parker, um especialista em operações técnicas da Polestar. A montadora também oferece instruções completas de reparo e acesso a um catálogo de peças que os proprietários podem comprar diretamente da própria empresa.

Disponível a partir de janeiro de 2022, o novo Polestar 2 de um só motor tem seu preço começando em US$ 45.900. Em valores convertidos, desconsiderando diferenças de impostos ou taxas, falamos de algo por volta de R$ 257 mil.

Leia mais:

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal.