Um grupo de pesquisadores descobriu acidentalmente que homens adultos transmitem mais a Covid-19 do que mulheres e crianças. Isso acontece porque eles liberam uma quantidade maior de vírus ao tossir ou espirrar quando comparados com mulheres adultas e crianças de ambos os sexos.

Segundo os pesquisadores, isso acontece por uma razão simples: homens adultos tendem a possuir pulmões maiores do que mulheres ou crianças. “Os adultos tendem a emitir mais partículas do que as crianças”, declarou o professor de engenharia mecânica da Universidade Estadual do Colorado, John Volckens.

publicidade

Homens também falam mais alto

Além disso, Volckens também defende que os homens adultos tendem a falar ou cantar em volumes mais altos, o que contribui para maior emissão de aerossóis. “A energia que exercem para projetar suas vozes “se traduz em mais partículas saindo de seu corpo”, completa o pesquisador.

Porém, mais do que o gênero da pessoa infectada, a ausência de ventilação é um motivo muito mais grave para o espalhamento do vírus. Segundo os pesquisadores, espaços fechados em que pessoas falam, cantam e gritam alto são os locais com maior taxa de transmissão da Covid-19.

Leia mais:

Durante os estudos, os pesquisadores também descobriram que cantar alto espalha uma quantidade maior de partículas do que apenas falar mais alto do que o normal. Isso dá a entender que locais como casas de shows fechadas e bares com música ao vivo e sem ventilação sejam os mais perigosos para a transmissão do vírus.

Voluntários peculiares

Estudo contou com tocadores de instrumentos de sopro, como trompete e saxofone. Crédito: CC0 Domínio público

Para realizar os experimentos, os pesquisadores usaram equipamentos relativamente simples, como uma câmara de teste de aerossol. Foram chamados como voluntários cantores, tocadores de instrumentos de sopro e atores de teatro para medir a emissão de partículas.

Agora, as próximas fases do estudo devem se concentrar em saber quais instrumentos musicais têm maior probabilidade de espalhar o vírus da Covid-19.

Via: Futurism

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!