A Pininfarina Shangai, estúdio chinês da empresa italiana, projetou um caminhão elétrico dotado de direção inteligente para a DeepWay, uma subsidiária do Baidu, conhecido como o Google da China. Chamado de DeepWay Xingtu, o veículo conta com 11 câmeras a bordo, um detector infravermelho, radar de ondas milimétricas e um sensor LiDAR (para escanear o ambiente).

Além dessas tecnologias, o caminhão elétrico projetado pela Pininfarina deve oferecer 300 km de autonomia. O projeto “representa um marco significativo para ambas as empresas”, nas palavras de Simone Tassi, gerente geral da Pininfarina Shanghai.

publicidade

Leia também:

Parte de trás do veículo elétrico
Imagem: Divulgação/Pininfarina

O vice-presidente e gerente geral de tecnologia de direção autônoma do Baidu, Yunpeng Wang, disse que, para alcançar o sucesso comercial, “a direção autônoma deve usar tecnologia avançada que crie novos produtos que ofereçam a melhor experiência possível”. Para termos uma ideia nesse sentido, os recursos que o caminhão elétrico Xingtu apresenta são capazes de detecção com um alcance de mais de 1 km.

Quatro focos principais do caminhão

Para Matteo Piguzzi, chefe de design da Pininfarina Shanghai, os caminhões pesados estão evoluindo rapidamente, onde novas tecnologias permitem que veículos inteligentes e conectados ajudem com segurança no trabalho diário. A primeira geração do caminhão elétrico oferece quatro focos principais: inteligência, desempenho, design e espaço.

Caminhão da DeepWay
Imagem: Divulgação/Pininfarina

O DeepWay Xingtu está equipado com o Highway Intelligence System (HIS) baseado na tecnologia de direção autônoma do Baidu. Juntamente com as câmaras, o detector infravermelho, o radar de ondas milimétricas e o sensor LiDAR, o HIS é configurado com algoritmos avançados voltados para uma condução autônoma completa. Um décimo de segundo passa da detecção para uma determinada execução.

Rápida recarga

Testes de simulação com o China Automobile Research Institute mostraram um coeficiente de resistência ao vento de 0,35 – o que reduz o consumo geral de energia. Com uma carga de 49 toneladas, a bateria de 450 kWh do Xingtu garante autonomia de até 300 km e pode ser recarregada em apenas uma hora. A DeepWay também desenvolveu uma solução de troca rápida de bateria: em seis minutos o caminhão pode receber um novo pacote totalmente carregado.

Já quanto ao seu design, o caminhão elétrico projetado pela Pininfarina oferece redução de resistência ao vento. Algo que segue um DNA aerodinâmico da empresa italiana, além das linhas elegantes.

Parte interna da cabine do caminhão elétrico
Imagem: Divulgação/Pininfarina

A DeepWay e a Pininfarina deram grande atenção ao espaço interior do veículo, criando uma cabine inteligente, que é uma espécie de segunda “casa” para caminhoneiros de longa distância. Um conceito de espaços separados foi adotado para a condução, trabalho e lazer do motorista. Há na cabine do caminhão assistente de voz inteligente, sistema de infoentretenimento com ecrã tátil e bancos e camas com bastante conforto.

Área de dentro do caminhão
Imagem: Divulgação/Pininfarina

Não está claro se ou quando o Xingtu entrará na produção convencional. Porém, a subsidiária do Baidu planeja continuar os trabalhos em P&D e fabricar caminhões com tecnologia autônoma e trens de força eletrificados.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!