O aplicativo 99, de compartilhamento de corridas, apresentou nesta sexta-feira (7) duas assistentes virtuais que contam com inteligência artificial para identificar passageiras em situação de maior risco e prevenir assédio.

Chamadas de Pítia e Atena, as tecnologias enviam às passageiras somente motoristas mulheres ou condutores melhor avaliados.

publicidade

Por meio de análise e mapeamento de corridas, as IAs conseguem identificar as corridas classificadas como de risco, como viagens à noite, trajetos mais longos, chamadas por terceiros, ou partindo de regiões com bares e casas noturnas.

Ilustração mostra uma mão próxima a um chip de inteligência artificial
Inteligência artificial é usada pelo aplicativo da 99 como ferramenta de segurança e combate ao assédio. Crédito: Shutterstock

Ao mesmo tempo, os algoritmos das assistentes analisam motoristas nas redondezas das chamadas e atribuem uma pontuação a cada um, baseado em fatores como gênero, nota na plataforma e quantidade de reclamações.

Esse processo é feito em milésimos de segundo e, com as informações coletadas, Pítia consegue selecionar para a corrida apenas os motoristas com maior pontuação de segurança, motoristas mulheres, ou condutores com melhor qualidade de atendimento.

Veja mais!

Ao passo que Atena oferece uma camada de conscientização, enviando vídeos e textos aos motoristas antes do embarque das passageiras, orientando-os sobre a importância de manter o profissionalismo e o respeito, além de oferecer dicas de como agir.

Resultados da ação

Em quatro meses de testes antes do lançamento, a 99 afirma que Pítia conseguiu contribuir com a diminuição de 45% do número de ocorrências de assédio sexual contra passageiras. Já Atena, reduziu os casos de violência em 17% em apenas uma semana.

“Com tecnologia de ponta, hoje somos capazes de identificar as situações de maior risco e atuar antes mesmo que um problema aconteça”, diz Pamela Vaiano, diretora de comunicação da 99. “Usar inteligência artificial é o mesmo que ter especialistas em segurança feminina monitorando 24 horas cada uma das corridas do app. Tudo isso em menos de um segundo.”

Combate à violência contra mulheres

Anteriormente, a 99 chegou a lançar outra IA, a Ártemis. Desenvolvida em parceria com a Think Eva, consultoria da organização voltada para empoderamento feminino, a tecnologia visa monitorar avaliações entre passageiros e motoristas apóas as corridas, a fim de identificar uma série de palavras e contextos que podem estar relacionados a assédios.

Ilustração mostra o desenho de dois carros e, no centro, uma mão segurando um celular e solicitando uma corrida por meio de aplicativo de compartilhamento de carros
Há algum tempo a 99 investe em iniciativas que unem IA e análise de dados para trazer mais segurança às corridas. Crédito: Shutterstock

Por meio de análise semântica, Ártemis consegue rastrear não apenas termos isolados, mas contextos onde as informações estão inseridas.

Dessa forma, a assistente sabe diferenciar o termo “nojento” em um contexto onde o comentário é “o motorista foi um nojento pois ficou me perguntando coisas inadequadas” de um contexto onde a passageira afirma que “o carro estava sujo, muito nojento”.

Assim, automaticamente, a tecnologia identifica denúncias de assédio deixadas nos comentários, auxiliando o banimento de agressores e direcionando atendimento humanizado às vítimas.

Vale ressaltar que uma equipe especializada da 99 faz uma rechecagem para avaliar os detalhes da ocorrência e tomar as providências cabíveis.

Com a atuação da Ártemis, são identificadas e banidas, em média, 730 pessoas por semana que cometeram algum tipo de assédio, entre motoristas e passageiros. Além disso, a inteligência artificial é capaz de aprender sozinha novos termos, tendo passado de 350, em 2018, para mais de mil hoje.

Há algum tempo a 99 vem investindo em IA com foco em segurança. No ano passado, a empresa já havia relatado que o uso da tecnologia era responsável por diminuir 60% das ocorrências graves.