Richard Branson, dono da Virgin Galactic, pode ir ao espaço antes ainda de Jeff Bezos, dono da Amazon e da empresa espacial Blue Origin. Segundo rumores, a empresa de Branson está trabalhando em um plano para enviar o britânico em um voo suborbital a bordo do foguete VSS Unity SpaceShipTwo, no dia 4 de julho, cerca de duas semanas antes do voo de Bezos, marcado para acontecer em 20 de julho.

Para conseguir cumprir seu objetivo, a Virgin Galactic ainda precisa de uma autorização da Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos (FAA). “Estamos analisando os dados de nosso voo bem-sucedido de 22 de maio. Conforme anunciado anteriormente, esperamos concluir os voos de teste finais deste verão até o início do outono”, disse um porta-voz da Virgin Galactic, ao portal Futurism.

publicidade
VSS Unity, espaçonave suborbital da Virgin Galactic, ainda precisa de uma licença da FAA para levar Branson ao espaço. Crédito: Virgin Galactic

Segundo o representante da empresa, ainda não há uma data para o voo tripulado que levará Branson à borda do espaço, mas reforçou que o objetivo do último voo não tripulado realizado pelo foguete VSS Unity SpaceShipTwo foi de “coletar dados a serem usados ​​para os dois últimos relatórios de verificação exigidos como parte da atual licença de operador de espaçonave reutilizável comercial da FAA”.

Mudança de planos

Uma fonte anônima ouvida pelo site Parabolic Arc, a Virgin Galactic teria formulado o plano para voar em 4 de julho como uma resposta ao anúncio da Blue Origin, que afirmou em 5 de maio que gostaria de ir ao espaço em 20 de julho. Porém, o planejamento de que Branson seria um dos tripulantes é anterior ao anúncio de que Jeff Bezos e seu irmão, Mark Bezos, se juntarão ao vencedor do leilão da Blue Origin nos assentos da espaçonave New Shepard.

Antes de poder voar com Branson ou qualquer outro tripulante, a Virgin Galactic precisa de uma licença comercial de operador de espaçonave reutilizável, que é emitida pela FAA. A licença atual da empresa permite apenas o lançamento de espaçonaves não tripuladas para realização de testes em uma base não comercial.

Leia mais:

Porém, mesmo que o voo de Richard Branson aconteça em 4 de julho, é provável que haja um debate sobre se ele realmente chegou ao espaço, já que VSS Unity alcança apenas 80,4 km, que é a distância reconhecida como a fronteira do espaço pela FAA. Mas, para a Federação Internacional de Aeronáutica (FAI), órgão que homologa e regulamenta os recordes mundiais da aviação e do espaço, essa fronteira está localizada na linha Karman, a 100 km, distância essa atingida apenas pela New Shepard, da Blue Origin.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!