A Virgin Orbit, empresa de lançamento de pequenos satélites do Grupo Virgin, do bilionário britânico Richard Branson, está se preparando para fazer mais um lançamento ainda em 2021 e pretende ter um ano de 2022 ainda mais movimentado. Até o momento, a empresa realizou dois voos espaciais em 2021 em um intervalo de pouco menos de seis meses.

O último dos lançamentos da empresa foi realizado no último dia 30 de junho e os primeiros dados ainda estão sendo analisados, mas eles sugerem que o voo correu como o previsto, o que mantém a empresa no caminho certo para mais uma missão ainda neste ano, provavelmente, no terceiro trimestre.

De acordo com o CEO da Virgin Orbit, Dan Hart, se tudo correr bem no terceiro voo de 2021, a empresa se sentirá segura para ter um calendário bastante agitado para 2022, lançando nada menos do que seis missões, o dobro deste ano. E se o planejamento para o ano que vem funcionar, o número de voos deve dobrar novamente em 2023.

Para seus lançamentos, a empresa utiliza um foguete de 21 metros de comprimento, conhecido como LauncherOne, que pode carregar até 500 kg de carga útil para a órbita da Terra. O foguete decola sob a asa de uma aeronave modelo 747-400, da Boeing, conhecida como “Cosmic Girl”, e é lançado após atingir um local e altitude predeterminados.

publicidade

Projeto de expansão

Os dois voos espaciais da Virgin Orbit lançados até agora decolaram do Espaçoporto de Mojave, no estado norte-americano da Califórnia. No entanto, a empresa planeja expandir seu portfólio de locais de lançamento e deve fazer decolagens de Guam, território norte-americano no meio do Oceano Pacífico, e de um local ainda não divulgado na Inglaterra.

Leia mais:

De acordo com Hart, a base aérea brasileira de Alcântara, no Maranhão, também deve ser o ponto de partida para lançamentos da companhia, assim como locais no Japão, Austrália e mais uma série de países.

No longo prazo, a empresa pretende ter várias “Cosmic Girls” estacionadas em vários locais do mundo, o que pode permitir um número de lançamentos anuais ainda maior para a segunda parte da década.

Com informações do Space

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!