Obras para construção da ferrovia de alta velocidade HS2 (High-Speed 2) entre Londres e Birmingham, no Reino Unido, levaram a uma descoberta surpreendente: uma rica cidade romana no que é hoje a região de South Northamptonshire. O local foi batizado de Blackgrounds devido ao solo escuro, quase preto, da região. 

Mais de 80 arqueólogos da MOLA Headland, um consórcio formado pelo departamento de arqueologia do Museu de Londres (MOLA, Museum of London Archeology) e Headland Archeology, uma das principais empresas de arqueologia do Reino Unido, trabalham no local há mais de um ano.

publicidade

Eles encontraram vestígios de jóias, cerâmica e mais de 300 moedas romanas que são sinal de uma comunidade afluente, provavelmente devido ao comércio: uma estrada romana de 10 metros de largura, pavimentada com pedras, atravessa o local. A maioria das estradas na região não ultrapassa os 4 metros de largura.

Apesar de residirem na fronteira ocidental do império, os habitantes de Blackgrounds tinham um estilo de vida definitivamente romano. Os arqueólogos encontraram divindades romanas esculpidas em restos de cerâmica ou na forma de pesos de metal usados em balanças.

Broches em estilo romano e traços de cosméticos à base de chumbo indicam que os moradores acompanhavam a “moda” e os costumes do império, tanto na vida quanto na morte: urnas funerárias romanas, contendo restos humanos cremados, também foram encontradas.

A organização da cidade, com uma divisão clara entre um distrito residencial e um industrial, também segue o estilo romano. Pesquisadores encontraram quatro poços, restos de oficinas e um trecho de solo vermelho queimado, que pode indicar a presença de uma padaria, fundição ou forno para a produção de cerâmica

Peso de chumbo romano na forma de um busto feminino
Moedas romanas de liga de prata e cobre

Também foram encontrados outros artefatos, como algemas de metal que podem indicar a presença de prisioneiros ou escravos, dados e peças de jogos feitos com ossos, ferramentas de tecelagem, potes de cerâmica e pratos de Peltre, uma liga de estanho, cobre, antimônio, bismuto e chumbo.

Entretando, a origem do assentamento é anterior à era romana. Os arqueólogos inicialmente analisavam os restos de uma vila da idade do ferro com cerca de 30 casas, localizadas ao longo de uma estrada da mesma época. Com o passar dos séculos, o local se desenvolveu e assimilou a cultura dos romanos, que chegaram à Grã-Bretanha em 43 DC.

Leia mais:

Segundo James West, gerente do local para a MOLA: “este é certamente um dos locais mais impressionantes que a MOLA Headland Infrastructure descobriu enquanto trabalha na HS2. Um destaque especial, para mim, é a compreensão da história de Blackgrounds, que agora sabemos que engloba vários períodos de tempo. Descobrir uma estrada romana tão grande e bem preservada, além de tantos achados de alta qualidade, tem sido extraordinário e nos diz muito sobre as pessoas que viveram aqui. Este local realmente tem o potencial de transformar nossa compreensão do panorama romano na região e além”.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!