Hoje, 5 de maio, é considerado o Dia Mundial da Senha (idealizado em 2013), algo com um tom interessante para o Brasil, que lidera o ranking dos países que passam mais horas por dia na internet pelo celular, segundo um levantamento da plataforma AppAnnie. Dito isso, uma lista revela quais são as dez senhas mais comuns em nosso país – e pode ser que você mesmo esteja usando uma delas para acessar algum de seus dispositivos ou em perfil de rede social, por exemplo.

Veja bem, conforme traz a especializada em cibersegurança ISH Tecnologia, 84,5% das senhas mais comuns no Brasil seriam quebradas por um hacker em menos de um segundo. O especialista em Segurança da Informação da empresa, Leonardo Camata, diz que o problema se torna mais diferenciado “quando considerável parte delas não requer conhecimento nenhum de hacking para serem adivinhadas. São sequências óbvias do teclado ou palavras muito fáceis”.

publicidade

Leia também:

Senha com sequências óbvias

Então, temos claramente um dos principais detalhes sobre as senhas comuns. A clássica sequência “123456” segue liderando o ranking, não só no Brasil, como em outros 41 países. “A lógica é um tanto quanto simples. Se você não gastou nenhum esforço em pensar em uma boa senha, são boas as chances que os hackers também não precisem de muito para quebrá-la”, explica Camata.

Eis a lista com as dez senhas mais comuns no Brasil:

  1. 123456
  2. 123456789
  3. Brasil
  4. 12345
  5. 102030
  6. senha
  7. 12345678
  8. 1234
  9. 10203
  10. 123123

Substantivos relacionados a comida e animais também são frequentes nas escolhas dos usuários como “código-chave” e, certamente, devem ser evitados. Como traz a ISH Tecnologia, muitas senhas estão relacionadas a grandes eventos que ocorrem no ano presente. Por exemplo, em 2021, “considerável parte das credenciais tinham alguma ligação com as Olimpíadas de Tóquio”, comenta o especialista em segurança.

Leonardo Camata apresenta algumas dicas para criar uma senha forte. A primeira é fugir do genérico (que o especialista considera a mais importante). Basicamente é ter em mente que qualquer ordem de caracteres que faça sentido para qualquer pessoa no mundo (como uma sequência óbvia de letras no teclado) tem risco muito maior de ser vazada – nomes de personalidades muito conhecidas também.

Não use informações pessoais

Outra dica é evitar informações pessoais, como o próprio nome ou de pessoas da família, datas de aniversário. Inclusive é importante não usar nas senhas informações facilmente encontradas em suas redes sociais, como nome do time que torce, nome do pet, cor que mais gosta e por aí vai.

Camata diz ainda que, quanto maior for sua senha, mais difícil será para alguma pessoa indevida descobrir – “idealmente, utilize uma senha com pelo menos 12 caracteres”. Além disso, você não deve usar a mesma senha para todos os casos. Ou seja, uma só senha para o Facebook, para acessar o celular, para seu perfil em plataforma de streaming (que por sinal, a gente sempre está compartilhando), para o aplicativo de banco, etc.

Acompanhando essa dica, o especialista aponta que um gerenciador de senhas serve de grande ajuda. Camata também diz que outra boa ideia é intercalar diferentes tipos de caracteres, como maiúsculas e minúsculas, números e outros símbolos do teclado na hora de criar uma senha.

Dentre algumas das curiosidades que a ISH Tecnologia lembra sobre as senhas mais usadas no Brasil, há que o uso do nome “Gabriel” foi o mais comum, sendo a 15ª mais usada no país. Além disso, o nome “Flamengo” foi o mais usado como senha na categoria times de futebol por aqui – e também um número assustadoramente alto de pessoas utiliza palavrões como senha.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!