EnglishPortugueseSpanish

O iPhone 12 foi anunciado não faz muito tempo, em outubro de 2020, mas a indústria não para e imediatamente começaram a surgir informações sobre a geração seguinte. Veja abaixo tudo o que já sabemos, graças a rumores e vazamentos, sobre o iPhone 13, iPhone 13 Mini, iPhone 13 Pro e iPhone 13 Pro Max.

“Novo” design

Possíveis mudanças no design do iPhone sempre chamam a atenção. E faltando cinco meses para o lançamento do aparelho, os rumores começam a convergir.

publicidade

No início de abril o site japonês Mac Otakara divulgou um vídeo de um “mockup” do que seria o iPhone 13. Embora bastante “cru”, o objeto teria sido construído de acordo com especificações de informantes na cadeia de produção do smartphone.

Simulação fictícia novo iPhone 13. Imagem: Macotakara
Mock-up do iPhone 13 mostrado pelo site japonês Mac Otakara. Imagem: Macotakara/Reprodução

Na foto, é possível perceber algumas mudanças: um notch mais estreito, sensor infravermelho da câmera frontal (para o Face ID) movido para a esquerda e reposicionamento do alto-falante frontal, que agora fica em uma “fresta” bem próxima à moldura do aparelho.

São as mesmas mudanças mostradas em renderizações de modelos 3D publicadas pelo 91Mobiles, que incluem uma comparação com o atual iPhone 12 Pro.

Imagem mostra comparação do notch sobre a tela do iPhone 13 Pro com o atual iPhone 12 Pro
Comparação do notch do iPhone 13 Pro com o atual iPhone 12 Pro. Imagem: 91Mobiles/Reprodução

As imagens também parecem mostrar um módulo de câmera ligeiramente maior, o que combina com rumores de que o iPhone 13 terá um sensor com “pixels” maiores que no iPhone 12, e portanto capaz de captar mais luz.

iPhone 13 Pro visto de trás. Módulo de câmera parece maior, o que dá força a rumores de um novo sensor de imagem.
iPhone 13 Pro visto de trás. Módulo de câmera parece maior que no modelo atual, o que dá força a rumores de um novo sensor de imagem. Imagem: 91Mobile/Reprodução

O site MySmartPrice também publicou renderizações de modelos 3D, mas desta vez do iPhone 13. Ele parece trazer algumas das mesmas mudanças do iPhone 13 Pro, como o reposicionamento do alto-falante e rearranjo dos sensores no notch.

Note que a posição das “janelas” para os sensores, nos círculos vermelhos da imagem abaixo, combina com a posição no mockup do Mac Otakara.

Imagem: MySmartPrice/Reprodução

O design mostrado pelos três sites também combina com imagens de painéis de vidro para o iPhone 13, fornecidas pela empresa de reparos grega iRepair ao site MacRumors. Ela sugere que a Apple manterá três tamanhos de tela: 5,4 polegadas (mini), 6,1 polegadas e 6,7 polegadas.

Supostos painéis de vidro para o iPhone 13 mostram o notch menor. Imagem: MacRumors/Reprodução

Segundo os sites, tanto o iPhone 13 quanto o iPhone 13 Pro terão quase as mesmas dimensões dos modelos atuais: 14,67 x 7,15 cm e 7,6 mm de espessura. Notou algo? Eles são 0,2 mm mais grossos que seus antecessores. Isso pode indicar uma bateria com capacidade ligeiramente maior.

Mudanças internas

O analista de mercado Ming-Chi Kuo, especializado na Apple, declarou em nota obtida pelo MacRumors que, além do notch reduzido, a linha iPhone 13 também pode ter pelo menos um modelo Pro com 1 TB de espaço interno e telas de 120 Hz.

Anteriormente, Kuo afirmou que pelo menos um iPhone topo de linha apresentaria um design sem portas em 2021. No entanto, ele parece ter mudado de opinião: sua nota afirma que “não haverá design sem porta” no mercado neste ano.

“Se o iPhone abandonar o Lightning no futuro, ele pode adotar o design com suporte ao MagSafe em vez de usar uma porta USB-C”, escreveu Kuo. “No momento, o ecossistema MagSafe não está maduro o suficiente, então o iPhone continuará a usar a porta Lightning”.

Já um vídeo no canal EverythingApplePro no YouTube afirma que haverá mudanças na tecnologia de telas: elas serão painéis OLED LTPO, como os usados no Apple Watch Series 6, que têm menor consumo de energia e taxa de atualização variável.

Com isso, o iPhone 13 teria um modo “always on”, que mesmo com o aparelho bloqueado manteria algumas informações, como relógio, carga da bateria e notificações sempre visíveis.

É algo que já existe em vários smartphones Android com telas OLED (mesma tecnologia usada no iPhone 12). Nesse tipo de tela, não há uma “lâmpada” ou LED para iluminá-la por trás: cada pixel produz sua própria luz, e um pixel preto está efetivamente desligado e consumindo zero energia.

Leia mais:

Num modo Always On, a maior parte da tela é desligada, o que reduz bastante o consumo e permite que o recurso seja implementado com menor impacto sobre a autonomia da bateria.

Para reduzir ainda mais o consumo de energia, os iPhone 13 teriam a tecnologia ProMotion, já existente em alguns modelos do iPad, que permite variar dinamicamente a taxa de atualização da tela de 1 Hz (uma vez por segundo) a 120 Hz, de acordo com o que está sendo mostrado. Quanto menor a taxa de atualização, menor o consumo de energia da tela.

Nova lente nas câmeras

Outro rumor de Ming-Chi Kuo diz respeito às câmeras. A Apple teria fechado um contrato com a chinesa Sunny Optical para produzir o conjunto de lentes do iPhone 13. A empresa já teria concluído com sucesso a etapa de aprovação e testes, e também pode fabricar as lentes para os iPads deste ano.

Por ora, a produção das lentes utilizadas nos iPhones se divide entre três companhias diferentes: a Largan, a Genius Electronic Optical (Yujingguang) e a japonesa Kantatsu, que também produz lentes para alguns módulos de câmera da LG.

Kuo também indica pelo menos três melhorias importantes na câmera ultrawide no próximo iPhone. A abertura deve mudar de f/2.4 para f/1.8, o que permitiria a entrada de mais luz no sensor e deve ter impacto significativo na qualidade das imagens captadas em cenários com pouca luz.

Apple iPhone 12 Pro Max
Conjunto atual de câmeras do iPhone 12 Pro Max. Imagem: Mr.Mikla/Shutterstock

Outra especulação indica uma mudança na quantidade de elementos no sensor grande-angular, passando de cinco para seis. Isso pode melhorar a nitidez das fotos e ajudar a evitar imagens tremidas.

Por fim, Kuo diz que a teleobjetiva pode sofrer “mudanças dramáticas em 2022”. No próximo ano, a Apple deve adotar um novo design para o sensor, oferecendo zoom óptico de até 10 vezes.

Suporte para redes 5G mmWave em mais países

Os modelos do iPhone 12 vendidos nos EUA tem suporte a dois tipos de redes 5G: mmWave, que tem alta velocidade mas alcance bastante limitado, geralmente algumas dezenas de metros ao redor de uma torre; e Sub-6 GHz, que tem alcance muito maior, porém velocidade menor. Já os modelos vendidos no exterior suportam apenas as redes Sub-6 GHz.

Mas isso pode mudar nos iPhone 13, com o suporte a mmWave sendo ampliado a mais países. Segundo um artigo do site Patently Apple, citando fontes da indústria, uma empresa taiwanesa chamada Qiqi está recebendo um “grande pedido” de antenas mmWave que serão usadas nos iPhone 13. As antenas usadas nos iPhone 12 são atualmente produzidas pela empresa japonesa Murata, que irá dividir o pedido com a Qiqi.

O diretor da Qiqi, Xie Hongbo, anunciou recentemente que a produção da empresa de componentes relacionados a redes 5G iria aumentar “significativamente” neste ano, o que dá força ao rumor.

Ilustração sobre redes 5G
O iPhone 13 terá suporte a redes 5G mmWave, mais rápidas, em mais países. Imagem: Shutterstock

Recentemente a Winstrom, que é uma das fornecedoras da Apple, fez um investimento na Qiqi e se tornou sua maior acionista. Ela teria sido responsável pela inclusão da Qiqi na cadeia de suprimentos da Apple. Outro fator é que a companhia trabalha em conjunto com a Qualcomm no desenvolvimento de suas antenas para 5G e Wi-Fi 6.

Apple planeja colocar LiDAR em todos os iPhones 13

Segundo o jornal taiwanês Digitimes, a Apple planeja incluir o LiDAR (um “radar laser” usado para mapear uma cena em três dimensões) em todos os modelos do iPhone 13. Atualmente, apenas os iPhone 12 Pro e 12 Pro Max (além do iPad Pro) têm o recurso.

A decisão seguiria um padrão da empresa de adicionar alguns recursos aos modelos topo de linha e, com o tempo, incorporá-los aos modelos mais baratos. Um exemplo são as telas OLED, que estavam disponíveis apenas nos iPhone 11 Pro e 11 Pro Max, e hoje são usadas em todos os iPhone 12.

Exemplo de uma “nuvem de pontos” gerada por um sensor Lidar. Imagem: Apple/Reprodução

Segundo o MacRumors, espera-se que a Apple retorne ao cronograma “tradicional’ de lançamento do iPhone em 2021, com um evento em setembro onde seriam apresentados o iPhone 13 (com tela de 6,1″) e três variantes: mini (5,4″), Pro (6,1″) e Pro Max (6,7”).