Os Chromebooks ganharam força no mercado de notebooks nos últimos anos por serem laptops acessíveis, portáteis e bastante fáceis de usar. Se, no início da década de 2010, os Chromebooks eram apenas o “notebook do Google”, hoje eles já se infiltraram na indústria com sólida credibilidade — especialmente no mercado da educação, onde são adotados como ferramentas adicionais ao aprendizado.

Mas o que são exatamente os Chromebooks e por que essa nomenclatura diferente de laptops ou notebooks normais? Bem, não há diferença, é apenas uma terminologia comercial. Um Chromebook, na tipificação estrita do produto, é um notebook. Mas é um notebook diferente, que roda um sistema operacional mais leve, o Chrome OS — e não o Windows ou o MacOS, como se encontra de forma mais fácil nas lojas —, com configurações mais básicas, porém eficientes para se trabalhar no dia a dia.

publicidade

O Chrome OS ainda garante uma facilidade aos usuários do Chromebook que estão mais familiarizados com o Android, por exemplo, que é o fato de os programas serem instalados diretamente do Google Play Store. Sim, isso pode ser um pouco restritivo (e vamos falar sobre isso mais abaixo), mas é de extrema praticidade para quem quer um computador apenas para navegar na web, produzir textos e assistir filmes e séries.

Atualmente, há uma infinidade de Chromebooks disponíveis no mercado sendo produzidos pelas mais diferentes empresas: Samsung, HP, Acer, entre outras. Alguns com mais recursos, uns mais leves, outros mais baratos, enfim.

E é por conta disso que o Olhar Digital preparou este guia especial para você entender um pouco mais sobre como funcionam estes aparelhos: o que é possível instalar num Chromebook ou não, como opera a interação dele com o Linux, as vantagens e as desvantagens de ter um Chromebook, quanto custa, entre outros tópicos que consideramos importantes. Confira!

Conheça as principais funcionalidades do Chromebook

Você pode usar um Chromebook para diversas tarefas, desde realizar buscas na internet e usar as redes sociais a assistir filmes e séries. Diferentemente de um PC ou um Macbook convencional, no entanto, em que há a necessidade de instalar programas, o trabalho é restrito ao Chrome, o browser do Google, ou a apps baixados da Play Store – e em alguns mais novos, os apps do Linux.

Então, o que é possível instalar no Chromebook? Boa parte dos apps de comunicação e redes sociais, como WhatsApp (web), Zoom, Discord, Skype, Instagram e Facebook, e dos apps de entretenimento e lazer, vide YouTube, Netflix, Spotify e até o Steam Community (embora esse tipo de laptop, falaremos mais adiante, não seja recomendável para jogos).

Alguns utilitários bastante populares no Windows também estão disponíveis, como o Dropbox (armazenamento de arquivos), o WinZip (software de compactação de arquivos) e o TunnelBear (serviço de VPN).

Já em termos de navegação, você só vai ter acesso ao Chrome. Outras opções, como o Firefox, da Mozilla, o Edge, da Microsoft, e o Opera, estão disponíveis como um app móvel, porém com um conjunto de limitações. Portanto, considere apenas o navegador do Google.

Muitos se perguntam também se o Chromebook tem o Word. E a resposta é: não. A única forma de você utilizar o Word em um notebook com Chrome OS é por meio da versão web no navegador. Em todo caso, há substitutos relativamente à altura dos softwares tradicionais, como o Google Sheets para o Excel, o Google Slides para o PowerPoint e o Docs para o Word. No lugar do Outlook, você também pode optar pelo Gmail, que já é universalmente aceito. Para o OneNote, há o Google Keep, que é uma ferramenta intuitiva e fácil de usar.

O que é chromebook vantagens e desvantagens
Imagem: Vantage DS / Shutterstock

Qual é a diferença entre um Chromebook e os outros notebooks?

A principal diferença entre um Chromebook e um notebook padrão é que sistemas operacionais como Windows ou macOS não são compatíveis com o primeiro. Como falamos acima, não é possível instalar o Word ou o Excel em um Chromebook, que são programas bastante populares, mas a verdade é que a proposta não é exatamente essa. Chromebooks são projetados para estarem conectados à internet. Portanto, seus apps mais estáveis são aqueles baseados na computação em nuvem do Google.

Uma outra sensível diferença entre um Chromebook e um notebook diz respeito a softwares de edição de fotos ou vídeos. Você até pode baixar os apps da Adobe na loja do Android e salvar seu trabalho na nuvem da empresa. No entanto, o Chromebook não tem armazenamento físico e capacidade de processamento para executar programas como o Photoshop ou o InDesign.

Há alternativas interessantes, como o Photopea e o Canva, que funcionarão de forma decente em um Chromebook. Mas, se você quer trabalhar com edição de fotos de forma profissional, o Chromebook definitivamente não é bom para isso. O mesmo vale para edição de áudio.

Qual é a diferença entre um Chromebook e o Chromebook Pixel?

Atualmente, o Chromebook é a nomenclatura dada a uma série de notebooks que utilizam o Chrome OS, que é o sistema operacional do Google. Várias empresas desenvolvem o sistema e produzem Chromebooks, como Acer, Lenovo, Qualcomm, HP, entre outras.

O Chromebook Pixel, por sua vez, é um laptop lançado em 2013 pelo Google. Ele vinha com o Chrome OS pré-instalado e fazia parte da família de eletroeletrônicos Pixel, produzida pela empresa americana que também incluía o tablet Pixel C e a primeira geração do celular Pixel.

O Google parou de fabricar o Chromebook Pixel em agosto de 2016, tendo substituído a máquina pelo Pixelbook — que muitas vezes é confundido com seu antecessor. A empresa americana também não atualiza o antigo Chromebook desde agosto de 2018.

Chromebook Pixel
Imagem: Wikimedia/CC

Chromebook x tablet

Tanto o Chromebook quanto o tablet são boas opções para quem não possui o vil metal para adquirir um notebook mais caro. Ambos transmitem vídeos, navegam na web e baixam apps com facilidade.

Mas há diferenças. Por exemplo, a tela. Os Chromebooks mais baratos vêm com resolução de 1366 x 768 pixels, o que não é exatamente a melhor definição de imagem. Por outro lado, tablets tendem a ter uma resolução mais alta e telas melhores do que Chromebooks. Isso torna estes dispositivos mais úteis para assistir vídeos ou produzir obras de arte.

Um ponto essencial também é a tela sensível ao toque. Enquanto a maioria dos tablets apresenta o recurso, poucos Chromebooks garantem — as exceções são o Pixelbook Go e o Asus Flip, mas são modelos caros.

Tratando-se de portabilidade, a “rivalidade” chromebook x tablet pende para o segundo. Embora variem em tamanho, tablets, em geral, pesam menos de 1 kg. Já os Chromebooks chegam a atingir quase o dobro. O HP Chromebook 15, o mais pesado, pesa 1,8 kg. Já o mais leve, o Pixelbook Go, gira em torno de 1 quilo na mochila.

Ainda assim, o Chromebook possui algumas vantagens. Por exemplo, além de vir com um trackpad, ele possui um teclado, o que o torna mais agradável para digitar e navegar na web. Num tablet, você tem o recurso touchscreen e usá-lo para digitar pode ser meio enfadonho.

 No fim das contas, no entanto, não há nenhum vencedor claro nesta luta de chromebook x tablet. Tudo depende do que você está à procura em um dispositivo. Se você precisa de um dispositivo para trabalhar e navegar na web, opte por um Chromebook com teclado. Mas se você quer apenas ver fotos e assistir vídeos, talvez o tablet, pela sua melhor resolução, seja a melhor alternativa.

Chromebook é bom para estudar? 

Sim, o Chromebook é um bom instrumento para estudar, tanto para universitários quanto crianças e adolescentes em idade escolar.

Durante a pandemia, com as restrições de transporte e as aulas remotas, muitas crianças precisam resumir suas atividades de aprendizado ao ambiente digital. Neste sentido, o Chromebook pode ajudar na rotina graças ao seu sistema operacional intuitivo e fácil de usar, com apps prontos para serem baixados na Play Store.

Para não ter que desinstalar e deletar coisas um ou dois anos depois de adquirir o computador, lembre-se de comprar um Chromebook com bom armazenamento físico — no mínimo, 64 GB — e uma memória RAM razoável, com pelo menos 4 GB (para aqueles que usam o navegador com polidez) e 8 GB (para os mais frenéticos).

Um aviso para os universitários mais tradicionalistas: o Chromebook não tem Word. Ele é acessível na versão web, mas não é mais possível instalar a suíte do Office via Play Store.

O que é Chromebook modelos
Imagem: Wirestock / Shutterstock

Como usar um Chromebook offline?

Mesmo sem internet, ainda é possível usar o Chromebook. Neste regime fora da nuvem, o melhor caminho é saber qual app do Chromebook você vai precisar quando um Wi-Fi não estiver à disposição. E aí você basicamente conta com duas opções.

Primeiro: ativar todos os apps e serviços compatíveis com o trabalho offline — e, neste sentido, toda a gama oferecida pelo Google está inclusa. Ou utilizar apps e serviços de terceiros que ficam disponíveis fora da nuvem. Vale observar que a maioria dos aplicativos no Android que oferecem esse recurso também o fazem no Chrome OS.

Como um ponto de partida, recomendamos que você primeiro habilite a opção offline para o Google Drive. Assim, você consegue sincronizar todos os arquivos que estão disponíveis na nuvem com o Chromebook.

Para isso, basta adicionar a extensão Google Docs Offline ao navegador Chrome e, em seguida, ir às configurações do Google Drive (tudo isso com a internet conectada, claro). Nesta seção, marque “Criar, abrir e editar seus arquivos recentes do Documentos, Planilhas e Apresentações Google neste dispositivo offline” e clique em “Concluir”. A partir daí, o acesso está garantido mesmo sem uma conexão Wi-Fi.

Captura de tela do Google Drive
Imagem: Reprodução / Olhar Digital

Há ainda uma opção adicional que é rotear a internet do celular no Chromebook. Para isso, você só precisa ter um smartphone com Android 5.1 ou superior e um Chrome OS versão 71 ou mais recente. O Google dá o passo a passo de como realizar esse procedimento.

Como falamos acima, o Drive não é o único app na Play Store que você pode acessar sem internet. Com estes apps terceiros, por sinal, é o mesmo procedimento de ativação: com a internet conectada, marque a opção do aplicativo que habilita a navegação offline e está tudo pronto. Todas as alterações feitas fora da nuvem serão sincronizadas na próxima vez que seu Chromebook estiver conectado à internet.

Apenas para citar exemplos de aplicativos disponíveis neste regime: Evernote (anotações), Trello (organização de produtividade) e Pocket (armazenamento de páginas da web para visualização offline).

Quais são as vantagens e desvantagens do Chromebook?

Chromebooks são laptops baratos e ultraportáteis que rodam o Chrome OS, do Google, em vez do Windows. São ótimos para estudantes, viajantes e qualquer pessoa que queira apenas navegar na web, assistir filmes e utilizar programas baseados em computação de nuvem, como o Google Docs.

Além da portabilidade, as baterias do Chromebook duram, no mínimo, oito horas, mais do que a maioria dos laptops. Se você deixá-lo no modo de espera enquanto não estiver em uso, um Chromebook pode ser utilizado de forma intermitente até por uma semana.

Ainda: sabe toda aquela espera que você vive na hora de ligar seu laptop? Chromebooks iniciam e desligam com muita rapidez. Esse recurso é útil quando você está correndo de uma reunião para outra ou precisa abrir o computador na hora de uma entrevista.

No entanto, além de vantagens, há desvantagens no uso do Chromebook. O problema mais sensível é a restrição de programas. Chromebooks não têm potência suficiente para rodar editores de imagem, áudio e vídeo ou outros softwares complexos que você possa precisar em um escritório.

Por conta das telas menores, alguns deles também podem ter uma resolução de imagem imprecisa. Especialmente os dispositivos com telas de 11,6”, que oferecem uma resolução de apenas 1366 x 768 pixels.

E ainda: a limitação de periféricos. Chromebooks são compatíveis com acessórios como cartão SD e unidades USB. Só que alguns deles vêm com poucas portas de uso, então certifique-se de escolher um Chromebook que tenha um conjunto de opções nesse sentido.

Critérios de compra: o que analisar para escolher um bom Chromebook?

Armazenamento interno

Não é a especificação mais essencial, mas não pode ser menosprezada. Sim, é fato que o Chromebook é um notebook mais adaptado para o ambiente online, mas ele também precisa de armazenamento físico para operar de forma recomendada.

De acordo com o próprio Google, um Chromebook opera bem com 16 ou 32 GB de armazenamento. Lembre-se, no entanto, que esta é a mesma capacidade de estoque de um celular de entrada ou intermediário, então não espere que o Chromebook forneça a gordura de dados oferecida no seu antigo PC de mesa.

RAM

A memória RAM é aquilo que vai ajudar o dispositivo a funcionar sem problemas quando há muitas guias abertas no Chrome. Boa parte dos Chromebooks vem com 4 GB de RAM e, verdade seja dita, isso é suficiente para quem navega pela web de forma menos descompromissada: ver filmes no Netflix, por exemplo.

Agora, se você quer exigir mais do modelo, rodando apps de forma secundária ou abrindo 80 mil abas ao mesmo tempo no navegador, a melhor alternativa é uma máquina com, no mínimo, 8 GB. Isso vai garantir que o Chromebook não te deixe na mão quando você tiver que alternar entre as guias. Uma boa opção nesse sentido é o Chromebook Acer 13, mas ele não sai por menos de R$ 3 mil — veja abaixo um pouco mais sobre isso quando falamos de custos.

Polegadas

Há modelos com telas de diferentes tamanhos, que variam entre 10” e 17”. Uma boa resolução para qualquer usuário é 1920 x 1080 pixels — a padrão em qualquer notebook —, mas dependendo dos preços do Chromebook em questão, você consegue uma definição mais alta ou baixa.

Qualquer intermediário possui uma tela que varia entre 13” e 15”, então foque nesses para uma melhor experiência. Uma resolução de 1366 x 768 pixels, comum em modelos mais baratos, pode parecer um pouco rústica para quem estava acostumado à de um laptop. Esta é, no entanto, a mais utilizada em modelos que utilizam telas menores do que 12 polegadas, como o Samsung Chromebook 4.

Modelo

Quando se trata de escolher modelos, boa parte das pessoas foca no preço. Ou emparelha um Chromebook e um notebook na mesma faixa de valor e verifique qual o melhor custo-benefício. Neste sentido, talvez uma opção sensata seja o Samsung Chromebook 4, que é um laptop com boa durabilidade e oferece opções com 4 ou 6 GB de RAM — a última alternativa para aqueles que amam abas de navegadores e executar vários apps ao mesmo tempo.

Agora, se você é um pouco mais exigente, busque opções mais sofisticadas (e infelizmente mais caras) como um Pixelbook, que é provavelmente o melhor Chromebook já feito, com 8 GB de memória RAM, 128 GB de armazenamento físico e tela de 13,3”. Isso funciona para quem quer salvar mais arquivos, editar imagens leves e jogar de vez em quando.

O Chromebook também é um bom utensílio para estudar. Considere, portanto, pensar em laptops com baterias de longa duração e que sejam versáteis — dispositivos 2-em-1 como o Ideapad da Lenovo, por exemplo —, ou seja, úteis para crianças e adolescentes.

Por último, e não menos importante, o tamanho. Você pode preferir um display maior para assistir filmes ou menor para facilitar o transporte. No entanto, como a maioria dos Chromebooks possuem telas entre 10” e 15”, todos eles são relativamente fáceis de serem carregados por aí.

Quanto custa um Chromebook?

Os preços do Chromebook variam dependendo do tamanho da tela, da memória RAM e do armazenamento físico. Com telas de 11,6”, o Samsung Chromebook 4 e o Acer Chromebook C733-C607 são dois dos modelos mais baratos no mercado brasileiro.

Outras opções menos careiras são o Samsung Chromebook 3, que custa em torno de R$ 1,8 mil à vista, e o Acer Chromebook C733T-C2HY, que sai por R$ 1,8 mil. Quanto custa um Chromebook mais caro? O Asus Chromebook Flip C436, com 8 GB de RAM e 128 GB de armazenamento físico, custa em torno de R$ 13,2 mil à vista.

O Chromebook é acessível no Brasil?

Uma das principais vantagens no Chromebook é justamente o preço. Em 2021, ano em que o preço médio de um laptop convencional chega a R$ 4.450, vale a pena, de repente, pensar em um Chromebook para economizar nas finanças.

Claro, não é tão acessível quanto comprar um smartphone de entrada — um Samsung A21, por exemplo —, mas é possível encontrar um Chromebook de nível razoável por preços que partem de R$ 1.500.

Atualmente, o modelo mais barato no Brasil é o Samsung Chromebook 4, com processador Intel Celeron N4000, tela de 11,6” e armazenamento físico de 32 GB. Este dispositivo sai por cerca de R$ 1.550.

Imagem promocional do Samsung Chromebook 4
Imagem: Samsung / Divulgação

Vale a pena comprar um Chromebook em 2021?

A resposta é: depende. Comece por enumerar todas as atividades que você rotineiramente faz em um computador. Inclua, ainda, o que você gostaria que um computador tivesse. Se todas as tarefas enumeradas cabem em um navegador, o Chromebook é bom para você.

Especialmente se você utiliza apps de produtividade como Trello ou Toggl ou mesmo processadores de texto como o Google Docs — afinal, todos podem ser acessados na web.

Se você não achar um aplicativo que sirva, todos os Chromebooks atuais conseguem rodar aplicativos do Android. Na verdade, é por conta dessa combinação e outros recursos-chave do Chrome OS que os Chromebooks se tornaram uma boa opção para quem quer um dispositivo que atue como uma extensão do smartphone.

Portanto, sim, vale a pena comprar ainda um Chromebook em 2021, principalmente se um computador para você é uma ferramenta para trabalhos leves ou que não exijam muito da memória. E, ainda, como explicamos acima, se todos os seus utilitários forem executáveis na web.

Por outro lado, o Chromebook não é um bom caminho se você usa, por exemplo, o computador para jogos ou softwares de áudio ou editoração gráfica muito pesados — e nem tente, porque o Chrome OS não vai aguentar.

O que é Chromebook: confira alguns modelos

Notebook Samsung Chromebook Plus

O Samsung Chromebook Plus é um notebook 2 em 1 (laptop e tablet simultâneo) com tela de 12,2” e resolução Full HD que entrega 10 horas de duração de bateria. Feito em alumínio, o computador apresenta uma câmera com qualidade de celular no modo tablet e uma caneta stylus, a S51 Pen. Em termos de memória e armazenamento, o Samsung Chromebook Plus possui, respectivamente, 4 GB de RAM e 32 GB em disco de estado sólido tipo eMMC. Atualmente, o preço varia entre R$ 3,6 e R$ 3,9 mil.

Imagem promocional do Samsung Chromebook Plus
Imagem: Samsung / Divulgação

Notebook Acer Chromebook N7 C731

Voltado para estudantes, este portátil da Acer vem com bateria de duração de até 12 horas e design de drenagem que permite até que 330 ml de água sejam derramados no teclado — importante porque crianças e adolescentes não costumam ser tão hábeis no trato de aparelhos eletrônicos. Um outro ponto interessante é que este Chromebook é comprovado com certificação militar, suportando quedas de até 1,22m de altura.

A tela é de 11,6” com resolução de 1366 x 768 e o processador é um Intel Celeron N3060 de 1,6 a 2,48 GHz, com 4 GB de memória RAM e 32 GB de armazenamento físico. Um dos mais baratos na nossa lista, este modelo C731 da linha N7 sai em torno de R$ 1,6 mil.

Imagem promocional do Acer Chromebook N7 C731
Imagem: Acer / Divulgação

Notebook Acer Chromebook C733T-C0QD

O C733T também é ideal para uso escolar e possui características semelhantes ao C731, com bateria de duração até 12 horas, memória RAM de 4 GB e 32 GB de armazenamento físico. O processador é um Intel Celeron N4020, um pouco mais avançado que o N3060, e a tela é de 11,6”, com resolução de 1366 x 768.

Como o C731, é um computador ideal para estudar, também com certificação militar e suficientemente robusto para aguentar quedas e eventuais derrames d’água. No Brasil, o modelo C0QD da linha custa em torno de R$ 3,1 mil.

Imagem promocional do Acer Chromebook C733T
Imagem: Acer / Divulgação

Notebook Acer Chromebook Spin 311

O Spin 311, da Acer, é um Chromebook leve — 1,5 kg — com tela de 11,6” e processador AMD A4-9120C de 1,6 GHz. E, apesar de não ter a melhor potência no processamento, não faz feio se você quiser utilizar o YouTube, o Spotify e o aplicativo web do WhatsApp ao mesmo tempo. O notebook conta ainda com duas portas USB-A, duas USB-C e uma para microSD, com 4 GB de memória RAM e 32 GB de armazenamento físico. No Brasil, sai em torno de R$ 3,3 mil.

Imagem promocional do Acer Chromebook Spin 311
Imagem: Acer / Divulgação

Notebook Samsung Chromebook 3

O Chromebook 3, da Samsung, é outro notebook para estudantes, com processador Intel Celeron N3060 e tela de 11”. Com 10 horas de duração, a bateria aguenta menos que os concorrentes da Acer, mas compensa pela alta variedade de periféricos: duas portas USB (uma 2.0 e outra 3.0), uma HDMI, uma para cartão microSD e um jack para fone de ouvido e microfone. Por aqui, este computador da Samsung está disponível por cerca de R$ 1,9 mil.

Imagem promocional do Samsung Chromebook 3
Samsung / Divulgação

Chromebook: qual o melhor?

Atualmente, um dos Chromebooks mais elogiados pela crítica é o Samsung Galaxy Chromebook 2, cujo preço varia entre US$ 550 e US$ 700 (em torno de R$ 2.900 a R$ 3.700, em conversão direta) nos EUA.

O Galaxy Chromebook conta com duas opções de processador, sendo um Intel Core i3 da 10ª geração e outro Celeron 5205U, com até 8 GB de memória RAM. O notebook vem com tela de 13,3” FHD, de 1920 x 1080 pixels, e possui tecnologia QLED.

Há ainda o Pixelbook, do Google, que é bastante enaltecido pelos 8 GB de memória RAM e uma tela sofisticada para a gama — 13,3”, com resolução de 3840 x 2160 pixels. O preço, no entanto, não ajuda: US$ 799, o que seria em torno de R$ 4.150 em conversão direta.

Já no Brasil, uma boa opção é o Chromebook 4, da Samsung, que oferece tampa de metal premium, bom desempenho de processador e bateria de longa duração por menos de R$ 2 mil. Pesa ainda 1,2 quilos, o que o torna bastante portátil para levar para qualquer lugar.

Outra boa alternativa é o Acer Chromebook Spin 311 (falamos dele acima), um notebook 2 em 1 que possui 4 GB de memória e 32 GB de armazenamento físico, com um teclado surpreendentemente confortável (para um Chromebook). A única desvantagem é o preço — R$ 2,9 mil — e a ausência de portas USB-A.

Imagem promocional do Samsung Chromebook 2
Imagem: Samsung / Divulgação

Como escolher um Chromebook?

Primeiro de tudo, é importante definir como você vai usar o Chromebook. Como explicamos acima, se você precisa de um computador para realizar operações mais complexas como edição de áudio ou vídeo, é melhor optar por um PC de mesa ou um notebook com maior memória RAM — o Chromebook vai oferecer pouco nesse sentido.

No entanto, se você quer um computador para ser apenas um editor de textos ou planilhas e navegar pela internet, um Chromebook ou um notebook oferecerão a mesma performance. Com a diferença de que o Chromebook — na maioria das vezes — será o mais barato.

Fique de olho no número de periféricos que o Chromebook oferece. Você pode conectar um modelo a uma impressora, um teclado, um mouse ou um monitor, desde que o acessório não exija seu próprio driver ou software para funcionar — o que não é possível instalar no Chromebook.

Felizmente, a maioria dos periféricos hoje são plug-and-play e só utilizam o software que os acompanha para personalizações. Mas é bom não vacilar nesse detalhe.

Também fique de olho no processador. Chromebooks têm um hardware mais simples do que outros computadores e isso inclui os processadores, que em sua maioria — no Brasil — são Intel Celeron, uma CPU famosa por não oferecer uma vida útil muito longa.

No fim, e não menos importante, procure saber ainda quanto custa seu Chromebook de preferência e avalie seu custo-benefício. Dependendo do orçamento disponível, talvez seja possível comprar um notebook intermediário com o mesmo preço.

O que é possível instalar em um Chromebook?

No Chromebook, primeiramente, é possível instalar os apps compatíveis com o Chrome OS, que é o seu sistema operacional. Estes apps são encontrados na Play Store, do Google.

As versões mais recentes do Chromebook também rodam apps desenvolvidos para o Linux, como o Gimp e o Inkspace (ferramentas de edição de imagem) e o Master PDF Editor (edição de documentos de texto).

Qual é o sistema operacional do Chromebook?

Como supracitado, os Chromebooks rodam no Chrome OS, um sistema operacional fabricado pelo Google. A plataforma, criada em 2009, é baseada no navegador homônimo da empresa e tem código aberto.

O Chrome OS foi projetado para que todas as tarefas possam ser realizadas na web e, consequentemente, armazenadas em nuvem. Portanto, não há necessidade, ao contrário do que ocorre em PCs ou Macs, de instalar softwares, porque os apps na área de trabalho ou na barra de tarefas já vêm alojados de fábrica — ou são apenas baixados, como num celular convencional.

Por ser uma plataforma do Google, o Chrome OS também garante acesso à Google Play Store. Por conta disso, a maioria dos apps na loja da empresa americana também estará disponível em um Chromebook. Alguns apps não estão exatamente otimizados para o sistema operacional, mas é possível utilizá-los em um formato de tela vertical, ocupando apenas uma parte da tela do computador.

Chromebooks mais novos conseguem executar apps do Linux também, o que expande os recursos do sistema operacional. No entanto, a maioria deles ainda é restrita aos apps ou programas disponíveis na Play Store.

O Chromebook tem Word?

Não. O pacote do Office, que inclui Word, Excel, PowerPoint, OneNote e Outlook, só roda no Chromebook com a versão web — ou seja, dentro do navegador. Até o dia 18 de setembro de 2021, era possível baixar a suíte da Microsoft na Play Store, mas a empresa americana optou por encerrar esse serviço. O motivo do encerramento é encorajar os clientes a utilizarem uma versão mais “otimizada” na web.

A Microsoft diz ainda que a experiência é uma forma de transferir seus usuários no Chromebook para o serviço Microsoft 365, que fornece mais recursos e modelos do Office do que em um app para Chrome OS. A abordagem na web também é mais otimizada para telas maiores do que o aplicativo, de acordo com a empresa de Bill Gates.

De qualquer forma, é aquilo: se você está pensando em comprar um Chromebook, prepare-se para não ter mais o Word ou nenhuma ferramenta do Office à sua disposição.

Conclusão e CTA

Acho que conseguimos dar um bom resumo sobre como funcionam os Chromebooks e quais são as vantagens e desvantagens de se adquirir um modelo. 

É aquilo: um modelo depende de como e para qual finalidade você vai utilizar. Mas basicamente o Chromebook se trata de uma ótima opção para quem quer usar a web, mas não para programas que sejam pesados e exijam muito da máquina como um PC normal.

E você, teve uma impressão positiva ou negativa com um? Valeu a pena comprar? Está sendo útil no trabalho? Comente abaixo como foi a sua experiência com o Chromebook.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!