Quem quer um tablet com o sistema operacional Android, do Google, tem atualmente duas opções. Por um lado, há um mundo de aparelhos “baratinhos“, com telas por volta das 7 ou 8 polegadas, mas que francamente deixam a desejar no quesito “experiência do usuário”. Processadores lentos, pouca memória e câmeras horríveis são basicamente uma garantia de decepção.

Já quem procura um tablet de qualidade só tinha, aqui no Brasil, uma opção: a linha Galaxy Tab da Samsung. Mas felizmente, para o consumidor, um empresa está retornando ao segmento: é a Lenovo, com seu Tab P11 Plus.

publicidade

Design elegante

O Lenovo Tab P11 Plus é um tablet bastante elegante, medindo 25,8 x 16,3 cm, com 7,5 mm de espessura e peso de 490 gramas. A traseira é de metal, adornada com uma faixa emborrachada no terço superior.

Segurando o tablet em modo paisagem, há um botão liga/desliga e dois botões de volume no canto superior esquerdo. No topo, à direita, fica o slot para cartões microSD. O conector USB-C para recarga da bateria e transferência de dados fica na lateral direita e na base estão 4 pontos dourados para conexão de periféricos que se encaixam magneticamente, como um teclado, que é vendido separadamente.

Os alto-falantes estão localizados nas laterais esquerda e direita. São dois de cada lado, parte de um sistema de som com certificação Dolby Atmos. O arranjo dos alto-falantes evita que você cubra todos eles enquanto segura o tablet e abafe o som, que é de qualidade e com bom volume.

As bordas ao redor da tela são finas, com cerca de 1 cm de espessura, e graças a isso a tela ocupa 81% da frente do aparelho. Ela é um painel LCD IPS de 11″ com resolução de 2000 x 1200 pixels e atualização a 60 Hz. Como é de se esperar em um aparelho desta faixa de preço, a qualidade de imagem é excelente: as cores são vivas e sem distorção, mesmo quando a tela é vista de um ângulo extremo.

Câmeras fazem o trabalho, mas não espere muito

Os smartphones praticamente dizimaram o mercado de câmeras fotográficas domésticas. Vá a qualquer ponto turístico do país e você certamente verá a maioria das pessoas fazendo fotos, e postando elas logo em seguida, com um smartphone.

Por isso a qualidade fotográfica é tão disputada nesse segmento: os fabricantes brigam para ver quem tem as melhores lentes, o melhor zoom, o melhor modo noturno, porque sabem que, muitas vezes, a escolha do consumidor na hora da compra depende disso.

Já com os tablets, a história é outra. O uso para fotografia é mais ocasional, e o que mais importa é a câmera frontal para videochamadas. Por isso o patamar a ser atingido é menor. Um smartphone com apenas uma câmera traseira é raridade hoje em dia, mas em tablets isso é comum.

Na traseira do Lenovo Tab P11 Plus há uma única câmera, com sensor de 13 MP e flash. Já a câmera frontal, para selfies e videochamadas, tem um sensor de 8 MP. Ambas cumprem seu papel: fotos e selfies em ambientes bem iluminados são boas, e há até um modo retrato para borrar o fundo da imagem e destacar a pessoa sendo fotografada. Como só há uma lente traseira, isso é feito por software, mas com bons resultados.

Já as fotos em ambientes escuros são bem ruins, com pouco foco e muito ruído. A câmera traseira tem um flash que pode ajudar, mas o melhor mesmo é procurar um lugar com mais luz, se possível.

No quesito vídeo, as duas câmeras (traseira e frontal) são capazes de gravar imagens em 1080p. A câmera traseira tem dificuldade em manter o foco se o tablet estiver em movimento (por exemplo, se você girar para mostrar um espaço grande), mas com ele parado a qualidade de imagem é aceitável. 

Já a câmera frontal se saiu muito bem, mesmo em situação de contraluz. Ou seja, a qualidade das videochamadas está garantida. Se você pretende fazer uso constante desse recurso, vale a pena investir em um acessório: a Folio Case, uma capa emborrachada que se prende magneticamente à traseira do tablet, e pode ser dobrada formando uma base para deixá-lo em pé na mesa.

Leia mais:

Desempenho e bateria agradaram

O Lenovo Tab P11 Plus é baseado em um processador Mediatek Helio G90T com oito núcleos, rodando a 2 GHz e acompanhado por 4 GB de RAM e 64 GB de memória interna, que pode ser expandida com um cartão micro SD. 

O chip é poderoso o bastante para encarar qualquer tarefa de consumo de conteúdo, como reprodução de vídeo em 1440p em serviços como o YouTube. E também é poderoso o suficiente para encarar alguns jogos. Genshin Impact, por exemplo, rodou bem na qualidade gráfica média.

Em nosso teste de reprodução de vídeo, estimamos a duração da bateria de 7.700 MaH em aproximadamente 9 horas, seja reproduzindo vídeo armazenado localmente ou via streaming. O tempo de recarga do “zero” a 100%, com o carregador de 20 Watts incluso na embalagem, foi de 2 horas e 10 minutos.

Android recente e pouco bloatware

Vale mencionar que o Lenovo Tab P11 Plus sai de fábrica rodando o Android 11, uma versão bastante atual do sistema operacional, e com poucos apps extras pré-instalados (o infame “bloatware“), entre eles o Amazon Music, um equalizador para o sistema de som e o pacote Microsoft Office, que basicamente depende de uma assinatura do Office Online para funcionar.

A maioria dos apps que testei soube tirar bom proveito do tamanho da tela, reordenando janelas e painéis para mostrar mais conteúdo. O GMail, por exemplo, coloca a lista de mensagens à esquerda e o conteúdo da mensagem selecionada à direita.

O Word também mostra uma interface bem familiar, com uma barra de ferramentas (ribbon) no topo da tela que inclui ferramentas de desenho à mão livre. Vale destacar o navegador Google Chrome, que ao mostrar os sites na versão desktop e exibir abas no topo da tela oferece uma experiência de uso bem próxima daquela à qual estamos acostumados no PC.

Vale mencionar que o Lenovo Tab P11 Plus vem com o Kids Space, app do Google que cria uma interface voltada para crianças de até 9 anos, com cards grandes, botões espaçosos e conteúdo agrupado de acordo com curadoria especial do Google, apresentando livros, aplicativos, jogos e vídeos voltados para as crianças.

O sistema do Google Kids Space é atrelado ao Family Link e por ele os pais ou responsáveis podem definir alguns ajustes, como limite de tempo de uso e ficar de olho em todo conteúdo acessado pela criança.

No geral o Lenovo Tab P11 é uma boa opção para quem quer um tablet de qualidade mas não quer se render ao ecossistema da Apple ou encarar o alto custo de um iPad. O preço sugerido pela fabricante é R$ 2.399.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!